Cidadeverde.com
Geral

Bairros da zona Sudeste permanecem sem ônibus nesta segunda-feira

Imprimir

Foto: Arquivo/Cidadeverde.com 


Os ônibus do transporte coletivo ainda não voltaram a circular na zona Sudeste de Teresina. O motivo é que o pagamento dos valores acordados na última sexta-feira ainda não foram repassados aos motoristas e cobradores que atuam na região.  A informação foi confirmada ao Cidadeverde.com pelo presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários (Sintetro), Antônio Cardoso. 

Na sexta (24), a categoria assinou a convenção coletiva com reajuste salarial, no ticket e no plano de saúde. Contudo, o acordo previu que os trabalhadores da zona Sudeste só retornariam ao trabalho com o pagamento do salário dos funcionários. 

“Segundo nos informaram, querem fazer o pagamento até o meio dia de hoje. Estamos torcendo. Só falta isso. Os trabalhadores daquela região estão há 57 dias sem o pagamento, quase fechando dois meses”, lamentou o presidente do Sintetro. . 

O consórcio em questão é o Theresina, que abrange cinco empresas. Das cinco, apenas a empresa Santa Cruz pode operar porque está com o salário da categoria em dias. 

As empresas que ainda não regularizaram o pagamento dos trabalhadores, até a publicação desse material, são a Emtracol, Taguatur, Transporte Fácil e Transfácil, de acordo com o presidente do Sintetro. 

Procurado pelo Cidadeverde.com, o Sindicato das Empresas de Transporte Urbano (Setut) se manifestou por meio de nota: 

O Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina (SETUT) informa que as empresas da Zona Sudeste de Teresina seguem aguardando o repasse financeiro da Prefeitura, para efetivar o pagamento dos trabalhadores e retornar o funcionamento das atividades no transporte público.

A entidade reitera seu compromisso com os passageiros e buscando agilidade na prestação de serviços para a população de Teresina.

Convenção Coletiva 

A greve no transporte coletivo de Teresina chegou ao fim na sexta (24) após assinatura de convenção coletiva. A paralisação durou 12 dias. 

Acordo firmado no TRT

* Reajuste de 6% no salário dos motoristas e cobradores, dividido em duas vezes: pagam 3,5% em março e em junho pagam os 2,5%de reajuste. 
* Atualmente o salário do motorista é de R$ 2 mil. Com o reajuste terá um acréscimo de R$ 140;
* Tíquete alimentação passará de R$ 170 para R$ 350
* Plano de saúde de R$ 60 para R$ 80

 

 

Nataniel Lima
[email protected] 

Imprimir