Cidadeverde.com
Esporte

Tomada de decisão sob pressão: a psicologia das cobranças de pênaltis

Imprimir

Fotos: Pexels


O futebol é um dos esportes mais populares do mundo e tem visto um aumento constante na sua popularidade nas últimas décadas. A Copa do Mundo, a Liga dos Campeões e outras competições de futebol têm milhões de fãs em alguns dos maiores eventos esportivos que se vê hoje.

Os confrontos dessas ligas possuem cobertura massiva da imprensa especializada na TV e em sites de streaming, além de movimentarem bilhões de dólares com site de apostas. Para se ter uma ideia, os jogos de apostas esportivas estão tão em alta no país, que neste mês, as principais casas de apostas com atividades voltadas para a nossa região, abriram o Instituto Brasileiro do Jogo Responsável, um instituto que envolve as maiores marcas do mercado, como Sportingbet e NetBet, por exemplo.

Com um número tão alto acompanhando os jogos, não é incomum que elementos psicológicos sejam levados em consideração na hora dos jogadores tomarem decisões dentro do campo. Por isso, lidar com os olhares de multidões e saber trabalhar com bastante pressão externa é algo que os jogadores precisam saber fazer para conseguir o sucesso na profissão.

O auge da tensão para muitos torcedores é a disputa por pênaltis, ela traz todos os medos e inseguranças que os fãs sentem acerca de seus times de uma vez só. Isso não é diferente para os jogadores, eles estão em um momento totalmente exposto e uma simples falha, em um momento como esse, pode custar toda a carreira de um atleta.

O que passa na cabeça dos jogadores na hora de cobrar um pênalti?

Durante a cobrança de pênalti, muitos jogadores experimentam uma mistura de emoções e pensamentos que podem influenciar seu desempenho. A pressão do momento, a expectativa dos torcedores, a importância do gol para a equipe e a responsabilidade individual são alguns dos fatores que podem estar passando pela cabeça dos jogadores.

Alguns jogadores podem sentir ansiedade e medo de falhar, o que pode levá-los a hesitar ou a escolher um lado aleatoriamente na hora de bater o pênalti. Outros podem sentir confiança excessiva e superestimar suas habilidades, o que pode levá-los a errar a bola ou chutar fraco.

Para nós, que estamos do outro lado, bater um pênalti parece a coisa mais fácil do mundo, mas a verdade é que nós nunca saberemos, de fato, toda a pressão psicológica sofrida por um atleta, que literalmente coloca tudo em jogo na hora de uma simples cobrança. 

Existe uma área de estudo que está sendo muito procurada pelos gestores de clubes no mundo, ela se chama  “psicologia da cobrança de pênaltis”. Essa área procura entender como os jogadores lidam com a pressão e tomam decisões sob estresse. Isso serve para planejar um treinamento adequado e desenvolvimento de estratégias mentais.

Exemplos reais de consequências de pênaltis mal batidos para grandes jogadores

Mesmo os grandes jogadores não estão imunes a situações de perda ligadas a um pênalti mal batido. Muitas vezes, pela importância que eles têm, acabam personificando as derrotas, tendo que conviver com essa marca até o fim de sua carreira. Esses são alguns exemplos:

Roberto Baggio

Na final da Copa do Mundo de 1994, Baggio, um dos maiores jogadores da Itália na época, desperdiçou um pênalti na disputa por penais contra o Brasil. A Itália perdeu a disputa e Baggio foi criticado duramente pela imprensa e também pelos torcedores italianos. O jogador relatou posteriormente que o erro o afetou profundamente e o levou a sofrer com ansiedade e depressão.

David Beckham
 
Beckham, um dos maiores jogadores da Inglaterra, perdeu um pênalti decisivo contra Portugal nas quartas de final da Eurocopa de 2004. O erro deu a vitória para Portugal e eliminou a Inglaterra da competição. Beckham foi duramente criticado e teve sua reputação afetada até o fim de sua carreira.

John Terry

Na final da Liga dos Campeões de 2008, Terry, o capitão do Chelsea, teve a chance de marcar o gol decisivo na cobrança de pênaltis. No entanto, ele escorregou e chutou a bola para fora, dando a vitória ao Manchester United. O zagueiro foi responsabilizado pela derrota de sua equipe e sofreu com críticas e pressão da mídia e dos torcedores.


Da Redação
[email protected]

Imprimir