Cidadeverde.com
Economia

Após sucessivas safras recordes, mudanças climáticas podem afetar produção no Piauí

Imprimir

Foto: Arquivo/Cidade Verde

Por Bárbara Rodrigues e Adriana Magalhães

A atuação do El Niño no país tem preocupado os produtores agrícolas, já que ele poderá afetar diretamente a produção. No Brasil existe uma indicação que pode ocorrer uma redução na safra no próximo ano. Já no Piauí, que tem conseguido nos últimos anos aumentar a safra e sempre bater recordes, essas mudanças climáticas preocupam, pois podem afetar a produção.

Entre as ações do fenômeno El Niño, está o aumento de chuvas nas regiões Sul e Sudeste, bem como secas mais severas nas regiões Norte e Nordeste do Brasil. 

Para superintendente da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) no Piauí, Danilo Viana, ainda não é possível dizer se o estado vai ter uma redução na safra do próximo ano.

“Vamos ter o El Niño, o fator climático tende a ser bem desfavorável, mas pelas últimas projeções, ele pode ser menos agressivo, um El Niño mais moderado. E nós também vamos ter alguns pontos de aumento de ar. A Conab ainda tá fechando esse balanço, e é muito cedo para falar em redução, é muito cedo. Nós sabemos que a gente vem de consecutivas safras recordes, mas é muito cedo falar de redução. Então a gente espera aí nessas próximas semanas que a gente tem uma definição do número da safra, com uma precisão melhor para informar”, afirmou.

Ele afirmou que apesar de uma indicação de redução em todo o país, no Piauí o cenário pode ser diferente, já que o El Niño não deve ocorrer de forma agressiva.

“Se você tem uma projeção nacional menor, e é um somatório dos Estados, o Piauí pode, sim, fazer parte. A tendência do Piauí, a gente pode falar, não é de crescimento, mas falar em redução nesse primeiro momento de safra é muito perigoso, porque a gente vai ter um balanço entre o aumento de área e o fenômeno climático. Tivemos notícias muito positivas, agora de que o El Niño aqui, do ponto de vista do estado Piauí, vai ter uma moderação. Então a gente vai ter chuvas previstas para começar um pouquinho antes do que se esperava. Porque a questão é o seguinte, é o produtor ter tempo de fazer a primeira e a segunda safra. Se a chuva demora, o que vai acontecer? A segunda safra, que a safrinha que tem tido recorde, ela vai ser prejudicada. Então tem um cenário de preocupação em crescimento, mas falar em redução é precipitado”, destacou.

Atraso no plantio

O presidente da Associação dos Produtores de Soja do Piauí (Aprosoja Piauí), Alzir Neto, informou que os impactos do fenômeno climático El Niño forçaram os agricultores a atrasarem o plantio de soja no cerrado piauiense, mas que acredita que a plantação poderá ser feita no mês de dezembro sem grandes prejuízos na produção

Segundo Alzir Neto, não há motivos para alarde e preocupação com a safra de soja, pois o fenômeno El Niño deste ano está dentro do esperado pelos produtores. Segundo ele, já caíram algumas chuvas na região, mas não o suficiente para que os produtores iniciassem o plantio que normalmente acontece entre a última semana de outubro e a primeira semana de novembro.

Para a safra 2023/2024 a estimativa de área plantada no Piauí é de 1,072 milhão de hectares crescendo pouco mais de 9% em relação ao tamanho de área plantada na safra passada. 

Você pode receber direto no seu WhatsApp as principais notícias do CidadeVerde.com
Siga nas redes sociais