Cidadeverde.com

"Faz parte do meu patrimônio" afirma vereador Alan Brandão sobre R$ 1,6 milhão apreendido pela PF

Imprimir

Fotos: Paula Sampaio/Cidadeverde.com

Por Paula Sampaio 

O vereador Alan Brandão (PRD) afirmou que o valor de R$ 1,6 milhão, em espécie, apreendidos em um escritório de contabilidade em que é sócio, no bairro Jockey Clube, na zona Leste de Teresina, pertecem à família dele e foram declarados à Receita Federal. O parlamentar ainda pontuou que acionou advogados para reaver o montante. As declarações foram dadas em uma entrevista exclusiva ao Cidadeverde.com, onde ele falou, pela primeira vez sobre a Operação Conectados, realizada pela Polícia Federal e Controladoria Geral da União (CGU) no início dessa semana. 

“Primeiramente, o dinheiro não foi encontrado, porque não estava escondido. O dinheiro faz parte do meu patrimônio, meu e da minha família, conquistado nos últimos anos como empresário. Todos os bens declarados e informados à Receita Federal”, disse.

O parlamentar acrescentou esperar reaver o valor. “Ainda hoje nós teremos acesso ao processo, já estamos com nossos advogados, já estaremos entrando com a solicitação para reaver todo o recurso como também para entender todo o processo”, acrescentou. 

Nega ligação com investigação 

Questionado pela reportagem, Alan Brandão negou ter qualquer ligação direta com as empresas investigadas na Operação Conectados. Durante a apreensão, a polícia e a CGU investigava fraudes em licitações e pagamentos irregulares a empresa que foi contratada pela Prefeitura de Oeiras para o fornecimento de suprimentos e equipamentos de informática. 

“Não tenho ligação com empresa nenhuma. Meu escritório trabalha com várias empresas. Trabalho como prestador de serviços na área da contabilidade”, argumentou. 

O vereador evitou comentar acerca de detalhes do processo pois, segundo ele, não teve acesso ao documento. Porém, pontuou não ser alvo da investigação. Ele contou ter ficado surpreso. 

“Estamos querendo entender, como não tivemos acesso à integra do processo, precisamos entender, porque eu não sou alvo, não sou réu e muito menos condenado. Enquanto vereador tive a minha imagem na mídia. Eu sou um profissional que já trabalha na área há mais de 10 anos, conceituado, respeitado. Então, a gente ainda precisa analisar isso com calma e cuidado”, disse. 

Evolução do patrimônio

Apesar de admitir que o dinheiro em espécie apreendido pela PF correspondia a seu patrimônio familiar, Alan Brandão havia declarado R$615.997,16 em bens à Justiça Eleitoral em 2020. Desse total, apenas R$ 20 mil eram provenientes de dinheiro em espécie de moeda nacional. 

Mantém pré-candidatura 

Sobre política, Alan Brandão disse que mantém a pré-candidatura a vereador de Teresina e que vai buscar a reeleição no PRD. Ele conta com o apoio do presidente municipal do partido Bruno Vilarinho. 

“Confio na Justiça, o que tenho para dizer agora é isso, estou tranquilo. Sigo em frente. Continuo pré-candidato, sou vereador e continuo disputando a reeleição no partido PRD”, frisou.

Você pode receber direto no seu WhatsApp as principais notícias do CidadeVerde.com
Siga nas redes sociais