Cidadeverde.com

10 hábitos para prevenir e combater a obesidade

Imprimir

Foto: Freepik 

 

A obesidade é uma condição de saúde caracterizada pelo acúmulo excessivo de gordura corporal, resultante de um desequilíbrio entre a ingestão calórica e o gasto energético. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), cerca de 22% dos homens e 29,5% das mulheres adultas no Brasil sofrem com a obesidade, equivalente a aproximadamente 41 milhões de cidadãos.

 

Além de impactar negativamente a autoestima e a qualidade de vida, esse problema está associado a uma série de prejuízos para a saúde. “Cerca de 45% das pessoas diagnosticadas com hipertensão são portadoras da obesidade/sobrepeso; 35% daquelas que têm dislipidemia, têm sobrepeso ou obesidade e 90% dos diabéticos estão em sobrepeso ou são obesos. A obesidade também aumenta o risco de doença cardíaca coronariana, doença cerebrovascular e insuficiência cardíaca”, explica a endocrinologista Dra. Deborah Beranger.

 

Esta é uma condição complexa e multifatorial, influenciada por fatores genéticos, metabólicos, ambientais e comportamentais. A boa notícia é que, ao incorporar alguns hábitos no dia a dia, é possível prevenir a obesidade e promover uma vida mais equilibrada e sustentável, favorecendo a saúde física e mental. Veja abaixo atitudes que vão auxiliar nesse processo!

 

1. Alimentação balanceada

 

Consumir uma dieta rica em frutas, vegetais, proteínas magras e grãos integrais fornece os nutrientes essenciais para o corpo, promovendo a saciedade e evitando excessos calóricos. Inclua alimentos saudáveis em todas as refeições e lanches diários.

 

2. Controle das porções

 

Monitorar o tamanho das porções é crucial para evitar o consumo excessivo de calorias. “Reduza o ritmo, coma com atenção e sirva as refeições em pratos menores. Inclua fibras, gorduras boas e proteínas magras, pois a digestão é mais lenta. Essas são estratégias comprovadas para diminuir a quantidade de comida sem sentir que está com fome”, comenta a Dra. Deborah Beranger

 

3. Hidratação adequada

 

Beber água suficiente ao longo do dia é vital para manter o metabolismo ativo, controlar o apetite e garantir o bom funcionamento do organismo. Tenha uma garrafa de água sempre à mão e faça dela sua bebida principal.

 

Para avaliar se está ingerindo a quantidade de água necessária basta observar a cor da urina, que deve estar sempre clara, aconselha a nutricionista Gabriela Taveiros. “Além disso, a hidratação adequada garante unhas, pele e cabelos mais bonitos e saudáveis”, acrescenta.

 

4. Atividade física regular

 

Exercitar-se regularmente não só queima calorias, mas também fortalece os músculos, melhora a saúde cardiovascular e promove o bem-estar mental. Encontre atividades que você goste e reserve tempo para praticá-las várias vezes por semana.

 

“Os exercícios físicos ajudam a controlar os níveis de açúcar no sangue e, a longo prazo, são responsáveis por melhores chances de manutenção do peso, além de equilíbrio nas funções bioquímicas do organismo que preservam as estruturas do DNA celular e evitam o desenvolvimento de doenças”, explica a nutróloga Dra. Marcella Garcez.

 

5. Redução do consumo de alimentos processados e ultraprocessados

 

Esses alimentos são frequentemente ricos em calorias vazias, açúcares e gorduras saturadas, contribuindo para o ganho de peso e problemas de saúde. “A alimentação saudável, com um padrão dietético que privilegie alimentos naturais e variados, é a base para a prevenção e o tratamento da obesidade e do diabetes”, diz a Dra. Deborah Beranger.

 

6. Evite dietas restritivas

 

Dietas extremamente restritivas podem levar a deficiências nutricionais e até mesmo a um efeito rebote de ganho de peso. Em vez disso, adote uma abordagem equilibrada e sustentável para a alimentação.

 

“Não adianta entrar em uma dieta restritiva acreditando em uma perda milagrosa de peso, pois isso só trará frustração por não conseguir, por exemplo, perder os sonhados 10 kg em uma semana. Isso gera um sentimento de culpa e fracasso”, afirma o Dr. Rizzieri Gomes, cardiologista e especialista em melhoria da qualidade de vida.

 

7. Priorize o sono adequado

 

A falta de sono pode afetar os hormônios relacionados à fome e ao apetite, levando a desejos por alimentos pouco saudáveis e excessos alimentares. Estabeleça uma rotina de sono consistente e desfrute de pelo menos 7-8 horas de sono por noite.

 

8. Gerenciamento do estresse

 

O estresse crônico pode desencadear hábitos alimentares pouco saudáveis, como comer emocionalmente, e afetar o peso corporal. Pratique técnicas de relaxamento, como meditação, yoga ou simplesmente reservar um tempo para hobbies e atividades prazerosas.

 

9. Acompanhamento médico regular

 

Consultar um médico regularmente é importante para monitorar a saúde, identificar precocemente quaisquer problemas e receber orientações personalizadas sobre dieta e exercício.

 

10. Foco no progresso, não na perfeição

 

Mudanças de estilo de vida levam tempo e exigem persistência. Em vez de se concentrar em resultados imediatos ou perfeição, celebre cada pequena conquista ao longo do caminho e mantenha-se comprometido com o processo de melhoria contínua.

 

Fonte: Estadão Conteúdo

 

Você pode receber direto no seu WhatsApp as principais notícias do CidadeVerde.com
Siga nas redes sociais