Cidadeverde.com
Geral

Bancários do Piauí iniciam greve na próxima quinta-feira

Imprimir
Os bancários do Piauí decidiram seguir o movimento nacional e irão deflagrar greve a partir de quinta-feira, 24 de setembro. A decisão ainda precisa ser ratificada em assembleia geral na quarta-feira, às 18h, na sede do Sindicato dos Bancários do Piauí, mas é dada como certa entre os representantes da categoria depois do empresários terem rejeitado a proposta apresentada pela Federação Nacional dos Bancários.
 
 
"Ela não contempla as principais reivindicações da categoria. Os bancos propuseram a reposição da inflação (4,5% de reajuste), uma PLR inferior à do ano passado, nenhuma valorização dos pisos salariais e nem proteção aos empregos. Além de negarem auxílio-educação e quererem reduzir o auxílio-creche/babá de 83 para 71 meses", disse o presidente do Sindicato, José Ulisses.
 
A categoria pleiteia reajuste salarial de 10% - reposição da inflação mais aumento real; Participação nos Lucros e Resultados (PLR) de três salários mais R$ 3.850,00; Valorização dos pisos e contratação de mais funcionários. Nas negociações, eles já conseguiram ampliação da licença-maternidade de 180 dias e a isonomia de tratamento para homoafetivos, com a possibilidade de incluir parceiros do mesmo sexo nos planos de saúde.
  • Veja as principais reivindicações dos bancários:
    - Reajuste salarial de 10% (reposição da inflação mais aumento real).
    - Participação nos Lucros e Resultados (PLR) de três salários mais R$ 3.850..
    - Valorização dos pisos:
    - Portaria: R$ 1.432.
    - Escriturário: R$ 2.047 (salário mínimo do Dieese).
    - Caixa: R$ 2.763,45.
    - Primeiro comissionado: R$ 3.477,00.
    - Primeiro gerente: R$4. 605,73.
    - Auxílio-refeição: R$ 19,25.
    - Cesta-alimentação: R$ 465,00 (um salário mínimo).
    - 13ª cesta-alimentação: R$ 465,00.
    - Auxílio-creche/babá: R$ 465,00.
    - Fim das metas abusivas e do assédio moral.
    - Plano de Carreira, Cargos e Salários (PCCS) em todos os bancos, negociado
      com as entidades sindicais.
    - Contratação   da   remuneração   total,   inclusive   a   parte  variável,   com  a
       Incorporação  dos  valores  aos  salários  e  reflexo em todos os direitos (13º,
       férias e aposentadoria) - com o objetivo de acabar com as metas abusivas.
    -  Garantia  de  emprego,  fim das terceirizações, mais contratações e aplicação
      da Convenção 158 da Organização Internacional do Trabalho (OIT), que inibe
      demissões imotivadas.
    - Segurança   contra   assaltos   e  sequestros,  com  a  retomada  imediata  da
      Comissão  de  Segurança  Bancária, proibição ao transporte de valores pelos
      bancários e adicional de risco de vida.
    - Auxílio-educação para todos.
    - Ampliação da licença-maternidade para seis meses.
    - Planos de previdência complementar para todos os bancários.
 
Da Redação
[email protected]
Tags:
Imprimir