Cidadeverde.com
Esporte

Comitê Olímpico Brasileiro reajusta repasses a confederações

Imprimir
O Comitê Olímpico Brasileiro (COB) anunciou nesta segunda-feira os valores do repasse de 2011 às confederações da Lei Agnelo/Piva. De acordo com o COB, o aumento e a divisão têm como foco reduzir a diferença entre as entidades que possuem patrocínio e as que não contam.

"O objetivo do COB é aproximar os valores recebidos pelas confederações, de forma a proporcionar condições de desenvolvimento às modalidades olímpicas, sobretudo as que não têm patrocínios, levando-se em conta também o histórico das modalidades e as possibilidades de futuras medalhas", disse o superintendente executivo de esportes do Comitê, Marcus Vinícius Freire.

Os novos valores tiveram como maior beneficiado o triatlo, que contou com um aumento de 33,2% em seu repasse (passou de R$ 1,356 milhão para R$ 2 milhões). Na sequência aparecem as lutas associadas, que foram de R$ 1,017 milhão para R$ 1,5 milhão, um acréscimo de 32,2% em relação ao valor original.

Outras modalidades que tiveram um aumento significativo foram o hóquei sobre a grama, o pentatlo moderno, o badminton e o tiro com arco, todos com um valor 30,46% maior em seu repasse. O rúgbi e o golfe aparecem na relação pela primeira vez, recebendo R$ 500 mil a partir de 2011.

Já modalidades mais tradicionais, com o atletismo e vôlei, contaram com um acréscimo bem inferior, devido à estratégia de valorizar esportes que não recebem patrocínios. As duas confederações receberão o teto de R$ 3 milhões em 2011.

O basquete e o tênis, por sua vez, ficaram com valores pequenos. Serão R$ 2,1 milhões e R$ 1,8 milhão, respectivamente. É um repasse inferior ao recebido por modalidades como handebol, ciclismo e canoagem, por exemplo.

O COB usou cinco critérios para definir os valores: resultados da modalidade em 2010; possibilidade de medalhas em Mundiais, Jogos Pan-Americanos e Jogos Olímpicos; atletas das confederações que estejam entre os dez melhores do mundo; patrocínios recebidos pelas entidades; liberação do uso do uniforme de competição em eventos como Pan-Americanos e Olimpíada.

A Lei Agnelo/Piva destina 2% do prêmio pago aos apostadores de todas as loterias federais do país ao COB (85%) e ao Comitê Paraolímpico Brasileiro (15%). Para 2011 o COB trabalha com uma estimativa de arrecadação de R$ 130 milhões. Dos recursos recebidos, o COB é obrigado por lei a investir 10% no esporte escolar (R$ 13 milhões estimados para 2011) e 5% no esporte universitário (R$ 6,5 milhões em 2011).

Cerca de R$ 40 milhões serão administrados diretamente pelo COB em ações para o desenvolvimento do esporte, como implantação do Laboratório Olímpico, ampliação do Centro de Treinamento Time Brasil, manutenção do Parque Aquático Maria Lenk e do Velódromo, manutenção da própria entidade e despesas com o envio de delegações brasileiras.


Fonte: Terra

Imprimir