Cidadeverde.com
Política

Em discurso na convenção, Sílvio diz que PSB ganhou de "forma torta"

Imprimir
Ao discursar pela primeira vez desde outubro de 2010, quando perdeu o segundo turno das eleições para o Governo do Piauí, o ex-prefeito de Teresina Sílvio Mendes atacou a atual gestão estadual. Disse que não se arrepende de nada e faria tudo novamente. Na manhã deste domingo (17), durante a convenção estadual do PSDB, no plenarinho da Assembleia Legislativa, o tucano ainda afirmou não ter saudade do poder, mas demonstrou preocupação com o cenário político do Piauí. 


Segundo Sílvio Mendes, o governo do Estado criou um fato para tentar enfraquecer o encontro do PSDB, a caminhada contra o crack. O ex-prefeito afirmou que o governo subestima a inteligência do povo, e não vê nada de concreto no combate às drogas. Lembrou no discurso que até o repasse para a Fazenda da Paz, que trata de dependentes químicos, está atrasado. 


O evento pode ter sido enfraquecido somente durante a caminhada. Após o evento, vários políticos foram ao plenarinho da Assembleia, entre eles o secretário de Governo do Estado, Wilson Brandão (PSB); o ex-senador Mão Santa (PSC); o prefeito de Teresina, Elmano Férrer (PTB); o deputado federal Marllos Sampaio (PMDB), e outros deputados estaduais e lideranças do interior.

Elmano Férrer

Sílvio Mendes alertou que o Estado tem um déficit de R$ 1,5 bilhão na previdência e dívida de R$ 2,4 bilhões para pagar. Com esses  4 bilhões, o ex-prefeito da capital garantiu que seria possível sustentar a prefeitura de Teresina por quatro anos.

Candidado da oposição nas eleições de 2010, Sílvio Mendes disse que Wilson Martins (PSB) venceu "de forma torta" e lembrou que a Justiça Federal investiga as denúncias feitas em ação movida pelo PSDB. 

Luciano Nunes

O ex-prefeito de Teresina também demonstrou confiança na liderança do deputado estadual Luciano Nunes, reconduzido ao comando do diretório estadual do PSDB. Para Sílvio Mendes, o parlamentar conduzirá o partido em uma oposição com responsabilidade para fiscalizar o governo e dar as respostas que o povo espera.

Sílvio Mendes saiu da convenção mais cedo. Pediu desculpas aos presentes para ficar em casa com a esposa, que sofreu acidente doméstico há um mês, no qual fraturou a bacia.

Yala Sena e Fábio Lima
Imprimir