Cidadeverde.com
Esporte

Olimpiauí: Robson Caetano premia campeã dos 100 metros no Atletismo

Imprimir

Na premiação da prova 100 metros feminino, uma surpresa para as atletas. Robson Caetano da Silva, campeão mundial de Atletismo esteve na Universidade Estadual do Piauí neste sábado (11), para entregar as medalhas. 

Fotos: Thiago Amaral/Cidadeverde.com

 
A emoção tomou de conta das esportistas. “Receber a medalha das mãos de Robson Caetano é uma honra muito grande”, expressou a vencedora Fernanda Araújo da Silva. 


 
Robson parabenizou as atletas premiadas e a TV Cidade Verde pela iniciativa. “Essas jovens têm grande talento e totais condições de medalha. Aqui no Piauí os atletas precisam de iniciativas como essa, que valorizam o esporte e dão condições de treino. A Olimpiauí é um pequeno grão de areia que vai formar uma grande praia”.
 
O atleta chegou no Piauí à meia noite e quando viu a transmissão da TV Cidade Verde foi prestigiar o evento. “Em todas as modalidades tem sempre um atleta que se destaca, e a Olimpiauí está dando essa oportunidade, a chance de serem descobertos novos nomes”, disse.


 
No pódio, em terceiro lugar Francineide de Souza, em segundo, Sirlene Leal Abreu e em primeiro Fernanda Araújo Silva, com o tempo de 11’’2.

 
Robson Caetano

Nascido no Rio de Janeiro, Robson Caetano da Silva saiu da Baixada Fluminense para ganhar as pistas do mundo todo, disputando finais olímpicas e grandes torneios internacionais com atletas lendários. Já trabalhou como disque-jóquei e, hoje, é comentarista do canal por assinatura Sportv.



O atleta iniciou sua carreira em 1979 e a encerrou em 2001. Sua primeira presença em pódio de competição foi em Caracas 1983, aos 19 anos, quando conquistou o bronze no 4x100m. Nos Jogos de Indianápolis 1987, foi prata nos 200m. Quatro anos depois, em Havana 1991, conquistou as medalhas de ouro nos 100m e 200m.

Em 1995, em sua quarta e última participação, ficou em 4º nos 200m. Mas suas vitórias não param por aí: foi campeão dos 200m no Grand Prix da IAAF em 1989; tricampeão da prova na Copa do Mundo (Camberra 1985, Barcelona 1989 e Havana 1992). Ganhou a Universíade de Duisburgo 1989. E desde 1988, detém o atual recorde sul-americano dos 100m, com 10.00, tempo de sua vitória no Campeonato Ibero-Americano do México 1988. Em 1989, marcou 19.96 no Meeting de Bruxelas, recorde sul-americano por 10 anos.



Jordana Cury (Especial para o Cidadeverde.com)
redaçã[email protected]

Imprimir