Cidadeverde.com
Geral

Sem fazer acordo, estudantes voltam a fechar ruas e quebram ônibus

Imprimir
A Prefeitura de Teresina e o movimento contra o reajuste da passagem de ônibus não entraram em acordo, após reunião que durou mais de 1h no Palácio da Cidade.

Thiago Amaral/Cidadeverde.com

A reunião terminou às 13h20 e a PMT alegou que não há como revogar o aumento da passagem e, portanto, o valor deve continuar R$ 2,10.

Ao saberem do resultado, os estudantes se revoltaram e começaram a jogar tomates na sede da prefeitura. Segundo o estudante Cássio Borges, que participou da comissão, afirmou que o prefeito Elmano Férrer (PTB) não esteve presente na reunião desta manhã. 

Thiago Amaral/Cidadeverde.com

Depredam ônibus

Os manifestantes seguiram em passeata pela avenida Maranhão e interditaram a faixa de sentido sul-norte. Eles pretendem interditar também a avenida Campos Sales. Próximo ao Shopping da Cidade, um ônibus da empresa Transcol, que faz linha Santa Maria via Frei Serafim, teve as janelas apedrejadas e os pneus furados. A polícia não está intervindo no movimento.

Na Campos Sales, os manifestantes voltaram a apedrejar dois ônibus – um da Dois Irmãos e outro da Transcol -. As lojas do Shopping da Cidade foram fechadas com o tumulto dos estudantes quando passavam pela Maranhão. 

"Eles sugeriram que nós terminássemos o movimento e só então eles iriam instaurar uma auditoria no sistema de ônibus. Mas, nós não aceitamos isso porque queremos a redução da passagem e só terminaremos quando a auditoria for instaurada e tivermos membros nossos participando", enfatizou o estudante.

Fotos: Paulo Barros

Estiveram na reunião o secretário de governo, Paulo César Vilarinho, o deputado Evaldo Gomes e a superintendente do Strans, Alzenir Porto. "O prefeito não quer resolver o problema", interpretou Cássio Borges.

Atualizada às 12h30

Uma comissão de 11 representantes do movimento entrou no Palácio da Cidade para participar de uma reunião com o secretário de Governo, Paulo César Vilarinho e os assessores. O deputado Evaldo Gomes (PTC) chegou à Prefeitura para participar da reunião.

No meio da manifestação, em frente à Prefeitura, uma bomba de São João foi estourada e feriu um estudante que foi levado para o atendimento médico.

Paulo Barros

Flash Carlos Lustosa Filho
Imprimir