Cidadeverde.com

Secretário diz que morte de empresário tem ligação com crime de pistolagem no Nordeste

 

O secretário estadual de Segurança Pública, Rubens Pereira, confirmou que o suspeito de matar o empresário Janes Cavalcante de Castro, de 53 anos, preso nesta quarta-feira (14), é envolvido em uma organização criminosa com atuação de pistolagem nos estados do Nordeste. O crime aconteceu em setembro de 2020 na cidade de Parnaíba. O empresário foi morto a tiros; ele estava dentro de um carro, em via pública, quando foi surpreendido pelos disparos. 

“Essa pessoa que executou já tinha três mandados de prisão em aberto das Justiças do Nordeste, de Pernambuco, de Alagoas. Com certeza se trata, pelas informações superficialmente, de uma organização criminosa com atuação de pistolagem nos estados do Nordeste”, disse o secretário em entrevista ao Jornal do Piauí. 

Em operação conjunta, as Policiais Civis e Polícias Rodoviárias Federais nos estados do Piauí, Pernambuco e Alagoas cumpriram 20 mandados judiciais. Seis pessoas foram presas, sendo uma mulher em Luís Correia-PI, um homem em Arapiraca-AL e quatro em cidades de Pernambuco. Os demais mandados foram de busca e apreensão nas cidades de Luís Correia e Parnaíba (Piauí); Pedra, Arcoverde, Venturosa e Olinda (Pernambuco) e Arapiraca (Alagoas).

Os presos nos outros estados serão recambiados para o Piauí. A previsão é deles chegarem ao município de Parnaíba na quinta-feira (15). “Diante da gravidade e da complexidade das investigações, nós chegamos aos executores. O que nós estamos sabendo é que são pessoas envolvidas com pistolagem nos estados do Nordeste. São pessoas que só foram contratadas para fazer isso. A investigação é complexa, não é somente o homicídio. Com certeza, vai gerar outras investigações e outros inquéritos policiais”.

O secretário esclarece que a investigação continua. “Agora, com essas primeiras prisões autorizadas pelo Poder Judiciário com homologação do Ministério Público vão desencadear outras prisões ou outras investigações. Ainda não sabemos quem é o mandante”.

Veja dinâmica do crime, apresentada pela Polícia; clique aqui

Prisões 

Os presos Edson Carlos Veríssimo da Silva, José Robervan de Araújo e Marcos Aurélio de Paiva Leal tiveram os nomes divulgados pela Polícia Civil do Piauí. Os outros foram identificados apenas pelas iniciais: I.S.S.; A.P.L.; A.A.

De acordo com a polícia, José Robervan fez monitoramento, deu suporte e contratou o suposto executor - Edson Carlos Veríssimo - que tem três mandados de prisão em aberto em Alagoas e Pernambuco. Já Marcos Aurélio de Paiva Leal seria o pilotou da moto usado pelo executor do crime. 

“Foram presas pessoas de Pernambuco, Alagoas e no litoral do Piauí.  O importante é que nesse momento com a prisão dessas pessoas as investigações irão continuar porque ainda muita coisa precisa ser esclarecida, mas o executar, aquele que atirou e diretamente participou do homicídio foi preso”.

As pessoas que deram apoio logístico também foram presas durante a operação. “A pessoa presa no Piauí foi a que depositou dinheiro em Teresina para a execução desse crime. Temos certeza que o caminho que nós estamos seguindo é o mais certo nessa investigação”.

O secretário relembra a importância da atuação conjunta das policiais para resolver o crime e a criação da Câmara Temática da Segurança Pública do Nordeste. 

“Por isso, a necessidade dessa Câmara Temática da Segurança Pública do Nordeste que instalamos e já tivemos reunião para integrar essas ações, com apoio do Poder Judiciário, do Ministério Público”. 




Morte

O empresário Janes Cavalcante de Castro, de 53 anos, foi morto a tiros no dia 18 de setembro de 2020 na cidade de Parnaíba, no litoral do Piauí.  O empresário estava em um carro trafegando próximo a sua residência quando foi atingido, dentro do veículo, pelos disparos de arma de fogo. Na época, populares informaram que uma dupla em uma moto se aproximou do veículo do empresário e disparou contra ele, fugindo do local em seguida. O empresário estava sozinho no carro.

Janes Cavalcante de Castro era dono de imobiliária, advogado e atuava também no ramo farmacêutico em Parnaíba e Teresina. 

 

 

Carlienne Carpaso
[email protected]