Cidadeverde.com

Com PM e Guarda Municipal, Prefeitura entra em prédio da Agespisa em Parnaíba

Fotos enviadas pelo Sindicato dos Urbanitários


Uma nova liminar da Justiça garantiu que servidores da Prefeitura de Parnaíba adentrassem os prédios da Agespisa no município para que seja feito um levantamento sobre o patrimônio da empresa e o sistema de abastecimento de água e esgotamento da região. O primeiro local a ser visitado na tarde desta terça-feira (15) foi a Estação de Tratamento de Água – ETA 4. Os funcionários estavam acompanhados da Guarda Municipal, dois oficiais de justiça, além da Polícia Militar. O Sindicato dos Urbanitários disse que os trabalhadores da empresa foram pegos de surpresa e classificou a ação como invasão.

"Eles tomaram de conta e os trabalhadores estão lá fazendo o que tem que ser feito. Os trabalhadores estão sob tensão, já que não esperavam essa invasão. O que aconteceu lá foi uma invasão mesmo. Eles arrebentaram cadeados e ficaram fazendo amedrontamento aos trabalhadores. Foi orientado a eles ficarem lá, pois eles têm a responsabilidade de prestar o serviço. A ETA é quem faz o tratamento da água, então você não pode brincar com isso", afirmou Francisco de Sousa, diretor de finanças do sindicato.

O advogado da prefeitura, Eliaquim Nunes, negou a invasão e disse que a gestão municipal estava apenas cumprindo uma decisão judicial. "Desde quando o prefeito rompeu o contrato que havia a resistência da Agespisa em permitir a entrada dos agentes do município, então nós entramos com um mandado judicial - como já foi noticiado - autorizando a prefeitura adentrar na Agespisa para fazer o inventário de bens. Porém, ainda com essa decisão, nós encontramos dificuldade. Os servidores da Agepisa não quiseram permitir a nossa entrada e nem prestar qualquer assistência. Hoje saiu uma nova decisão e a juíza deu um despacho determinando o cumprimento imediato dessa liminar, autorizando o uso da Polícia Militar e até ordem de arrombamento. Nós fomos para cumprir a liminar", explicou.

O advogado declarou que as visitas à Agespisa servirão para fazer o levantamento do inventários de bens, patrimônio, estado dos equipamentos e cadastro de usuários. "Para que se possa montar o planejamento estratégico para quando o municipio assumir o serviço dia 29, não encontre dificuldade", afirmou.

O governo do estado ingressou com ação pedindo a suspensão da liminar da juíza da vara de Parnaíba, que autorizou a prefeitura gerir o sistema de abastecimento de água da cidade. 

Segundo o secretário estadual de Governo, Merlong Solano, o estado busca uma solução, junto ao Tribunal de Justiça do Piauí, para que os serviços de água e esgoto do município de Parnaíba, localizado a 336 km da capital, continuem sob a gestão da Agespisa. 

No último domingo (13), a juíza da 4ª Vara da Comarca de Parnaíba, Ana Victoria Muylaert Saraiva Cavalcanti Dias, concedeu liminar favorável à Prefeitura de Parnaíba, determinando que o município faça a gestão da água.

Hérlon Moraes
herlonmoraes@cidadeverde.com