Cidadeverde.com

Famílias desabrigadas em Parnaíba recebem ajuda humanitária do governo

Foto Ascom Defesa Civil

A situação das enchentes em Parnaíba, a 315 km de Teresina, é considerada estável. Nas últimas horas o volume de chuva diminuiu, o que tem facilitado o trabalho da Defesa Civil e do Corpo de Bombeiros no município. Ontem o comandante do Corpo de Bombeiros do Piauí, Carlos Frederico, informou que 110 famílias ficaram desabrigadas na cidade.
 
De acordo com o comandante do Corpo de Bombeiros de Parnaíba, Major Rivelino Moura, a corporação está trabalhando na retaguarda, na ajuda humanitária e distribuição cestas básicas, colchões e kits de higiene.
 
“Algumas áreas permanecem alagadas, como as localidades Vazantinha, Fazendinha e Labino. Atualmente a Defesa Civil municipal trabalha na retirada do acúmulo de água em Colônia Capina, para evitar que a água se acumule em caso de novas chuvas”, informou o comandante

Kits de ajuda humanitária foram enviados nesta quarta-feira (27) às famílias afetadas pelas cheias no litoral do Piauí. São 200 cestas básicas, 100 kits de higiene pessoal, 100 kits de limpeza, 100 colchões, 100 kits dormitório e quatro mil galões de água mineral. Os kits são oriundos de recursos públicos do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Defesa Civil (Sedec) e da Secretaria de Estado da Assistência Social e da Cidadania (Sasc).

De acordo com o secretário de Estado da Defesa Civil, Raimundo Coelho, a ajuda enviada é suficiente para atender as famílias desabrigadas nos municípios de Parnaíba e Ilha Grande. Para ele, a parceria entre os órgãos estaduais tem sido eficiente nas ações de socorro e assistência aos afetados. 

“Vale destacar também o empenho do Corpo de Bombeiros,  que desde o primeiro momento tem feito um grande trabalho no resgate das vítimas. Outras pastas como SDR, Sesapi e Secult disponibilizaram os veículos para levar o material até Parnaíba", ressaltou o gestor.

Monitoramento
Devido às fortes chuvas que vêm atingindo o Piauí nos últimos dias, a Secretaria de Estado da Defesa Civil tem mantido contato diário com as coordenadorias municipais de Defesa Civil, principalmente as da região norte, onde ocorrem as chuvas mais intensas, para fazer um apanhado da situação e, em alguns casos, comunicar sobre o alerta de chuvas intensas emitidos pelo Centro Nacional de Monitoramento e Alerta de Desastres Naturais (Cemaden).

Valmir Macêdo (Com informações da Ascom da Defesa Civil)
[email protected]