Cidadeverde.com

Árbitra agredida a socos está abalada e defende punição do agressor

Foto: Reprodução/Facebook

A árbitra Eliete Fontenele, 42 anos, que foi covardemente agredida por um jogador durante uma partida de futsal no campus da UFDPar de Parnaíba, litoral do Estado, disse ao Cidadeverde.com que “nunca imaginou” sofrer a violência. 

 Árbitra desde os 20 anos de idade, Eliete disse que nunca sofreu violência física durante jogos. “Já peguei muito nome, mas ser agredida como eu fui agora, nunca imaginei passar por isso. Até por conta da minha idade. Quero justiça”, desabafou Eliete. 

Eliete conta que o jogador, que é estudante do Curso de Engenharia de Pesca, se descontrolou ao ser punido com um cartão vermelho. “Ele partiu para cima de mim, pegou na minha mão, eu dei passos para trás e ele me deu três socos na minha boca. Fiquei sem saber o que pensar. Nesse momento uns amigos deles fizeram uma barreira e ele [agressor] conseguiu fugir. Eu até agradeço senão ele teria sido linchado e a desgraça seria maior”, disse a árbitra. 

A árbitra conta que já conhecia o agressor de outros jogos e notava nele comportamento nervoso e agitado, mas que nunca sofreu nenhuma agressão.  

Eliete realizou exames no Instituto Médico Legal de Parnaíba e registrou a agressão na Polícia Civil. 

Foto: Reprodução/Whatsapp

Ela espera que a “Justiça seja feita” e defende a punição do agressor, que até a conclusão desta matéria não havia sido localizado pela polícia. 

O vídeo que flagrou a agressão contra Eliete repercutiu nas redes sociais e a #UFPI na chegou  a ser  um dos assuntos mais comentados no Twitter. 


Izabella Pimentel
redacao@cidadeverde.com