Cidadeverde.com
Política

Themístocles Filho diz que PMDB não irá unido para 2018: '100% só Deus'

Imprimir

O presidente da Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi), Themistocles Filho (PMDB), acredita que não há como o PMDB ir totalmente unido para o pleito de 2018, em uma coligação para a reeleição do governador Wellington Dias (PT). De acordo com Themistocles, é praticamente impossível que um partido consiga a unanimidade de posicionamento político. 

Nesta segunda-feira (17), na Alepi, o presidente também destacou que acha natural que o PT busque a vaga de candidato a vice-governador na chapa majoritária da mesma forma que considera legítimo que o PMDB realize uma convenção para decidir o rumo do apoio as eleições do próximo ano, como o ex-ministro João Henrique de Sousa (PMDB) tem sugerido amplamente na mídia.

“100% eu acho que só Deus. Nem o PMDB nem outro partido consegue 100% no apoio de todos; é quase impossível. Agora, eu acho tudo natural. Qualquer  cidadão, qualquer partido tem o direito de reiventigar algo. Vejo isso de maneira bem natural”, comentou Themistocles.

De acordo com Themistocles, o fato de uma ala do PMDB não concordar com a aliança com o PT não irá atrapalhar a relação com a base. 

“Esses ajustes, na verdade, só vão acontecer mesmo em junho do próximo ano. Também acredito que seja perfeitamente natural a realização de uma convenção; inclusive está até na convenção do partido, é legítimo”, argumentou. 

O presidente da Alepi reinterou que o PMDB está firme ao lado do governador Wellington Dias (PT), ajudando na gestão e também dentro da Assembleia Legislativa.

Foi lido durante a sessão plenária de hoje pelo presidnete o relatório dos trabalhos legislativos do primeiro semestre da Alepi - janeiro a julho de 2017 -, cumprindo o que determina o Regimento Interno da Casa. 

De acordo com a assesoria de imprensa da Assembleia foram votadas 595 matérias, sendo 462 requerimentos, 63 projetos de lei, 28 mensagens do Executivo, 14 projetos de Decreto Legislativo 8 projetos de Lei Complementar, 8 projetos de resolução, 6 indicativos de projeto de lei, 3 vetos, 2 propostas de Emenda Constitucional e 1 projeto de lei Complementar do Executivo. Também foram expedidos 406 ofícios da Secretaria Geral da Mesa, 283 ofícios do Gabinete da Presidência, 207 atos da Mesa e 14 portarias.

 

Flash Lyza Freitas
redacao@cidadeverde.com 

Imprimir