Cidadeverde.com

Em carta, Bispo denuncia violência e cobra delegacia da Mulher em Bom Jesus

Foto: Arquidiocese de Teresina

A diocese de Bom Jesus divulgou uma carta aberta direcionada ao governador Wellington Dias (PT) e à sociedade piauiense. No documento, assinado pelo Bispo da diocese do município, Dom Marcos Antônio Tavoni, são apresentadas diversas cobranças relacionadas ao setor da Segurança Pública na região sul do Estado.

O documento cita alguns casos recentes de violência que repercutiram na região, como o feminicídio da jovem Mirian Silva Santana, de 27 anos, morta pelo marido; e cobra a instalação de uma Delegacia da Mulher em Bom Jesus. 

"Bom Jesus não ganhou uma Delegacia da Mulher, como convinha, mas simplesmente a nomeação de uma Delegada da Mulher; e esta ficou responsável pelo atendimento, ao mesmo tempo, de todos os municípios da região, mas não possui efetivo e nem espaço físico para trabalhar. Não há lugar adequado para acolher a vítima humilhada, nem o agressor criminoso, muito menos viaturas e policiais qualificados para lidar com as situações", diz o texto. 

O Bispo da Diocese de Bom Jesus também faz críticas à situação dos atendimentos no Hospital Regional de Bom Jesus. 

"[...] não oferece condições, nem pessoal capacitado para o atendimento das mulheres vitimizadas pela violência física ou sexual. O legista que atesta o estupro nunca se encontra em seu plantão, aumentando a humilhação das vítimas, obrigando-as a procurá-los em suas suntuosas clínicas particulares. Nem mesmo uma pandemia foi capaz de trazer para Bom Jesus um só leito de UTI", afirma o documento. 

No documento, o Bispo de Bom Jesus também afirma que os casos de violência na região 'estão sempre associados ao consumo de álcool ou drogas', e faz um pedido de socorro às autoridades do Estado. 

"Falta-nos uma Delegacia da Mulher efetiva; falta-nos assistência hospitalar adequada; falta-nos um judiciário eficiente. Falta-nos um combate efetivo do tráfico e do consumo de drogas. Pedimos socorro!", diz o texto. 

[...] Que se possa lançar um olhar de compaixão para a população do Sul do Piauí, enxergando nela cidadãos que precisam ser respeitados nos seus direitos e dignidade como pessoa", completa o texto. 

O cidadeverde.com entrou em contato com o bispo de Bom Jesus, Dom Marcos Antônio Tavoni, que confirmou a veracidade e reafirmou o teor do documento. "Estamos cobrando as promessas feitas pelo governo do Estado, como a instalação da delegacia da mulher em Bom Jesus. São reivindicações antigas" disse. 

Dom Marcos Tavoni também justificou o que motivou a Igreja a encabeçar as reivindicações dos moradores da região.  "A igreja é a voz daqueles que não têm voz, a gente então procura cumprir a nossa dimensão profética, de denunciar. A igreja, como instituição cristã, ela zela pelo bem estar das famílias. Os padres acolhem as famílias e lidam o tempo todo com os problemas. A igreja cumpre o seu papel, mas chega um ponto que o Estado também precisa cumprir o seu", argumentou. 

 

Confira a íntegra da carta

 

Outro Lado

O cidadeverde.com apurou que a carta aberta divulgada pela Diocese de Bom Jesus já foi sido respondida pelo governador Wellington Dias, através da equipe do seu gabinete. Na resposta, uma das justificativas que teriam sido apresentadas para o atraso na instalação de uma Delegacia da Mulher em Bom Jesus é que a pandemia da Covid-19 atrasou o processo de formação dos agentes que deverão atuar no local. 

O cidadeverde.com também entrou em contato com o governo do Estado, através da Coordenadoria de Comunicação Social, mas ainda aguarda um posicioanmento sobre as demanadas apresentadas na carta assinada pelo Bispo de Bom Jesus. 

 


Natanael Souza
[email protected]