Cidadeverde.com

Bom Jesus dá início a criação do Parque Municipal do Salão da Serra

Está iniciado o processo de criação do Parque Municipal do Salão da Serra. O parque será composto pelo conjunto de encostas, incluindo o alto de uma chapada com vegetação típica do cerrado no entorno da Serra de Bom Jesus. O início foi marcado com uma reunião entre o prefeito de Bom Jesus, Marcos Elvas e o Conselho Municipal de Meio Ambiente. O local identifica a cidade e contém outras espécies arbóreas e nascentes.

Com área de 352,0527 hectares e perímetro de 9.795,72 metros, o Parque preservará, além da beleza cênica da serra que emoldura a cidade, as nascentes dos córregos Grotão, Cedro e Palmeira, que foram fundamentais para a localização do município de Bom Jesus quando da chegada dos seus primeiros habitantes.

No perímetro da área descrita ficam proibidas edificações, reformas, ligações de rede de energia elétrica, abastecimento de água, arruamento, desmate, plantações, cultivos, realização e implantação de benfeitorias, exploração, cortes e supressão da vegetação, ou qualquer outra ação antrópica a preservação dos recursos naturais do local. 

O gestor está agendando convênio com a UFPI e pretende incluir o estudo técnico de viabilidade do Parque o quanto antes.
“Diante da especulação imobiliária da região e dos desmatamentos ilegais, resolvemos tomar essa importante iniciativa, que tem como meta a preservação do nosso meio ambiente. Com o desenvolvimento da região, se não preservarmos a área que contempla o Salão da Serra, possivelmente daqui há alguns anos não teremos mais esse cartão postal tão importante para nosso município. Acredito que o crescimento de qualquer cidade deve respeitar sua área ambiental”, destaca o gestor. 

No perímetro da área descrita ficam proibidas edificações, reformas, ligações de rede de energia elétrica, abastecimento de água, arruamento, desmate, plantações, cultivos, realização e implantação de benfeitorias, exploração, cortes e supressão da vegetação, ou qualquer outra ação antrópica a preservação dos recursos naturais do local. 

O gestor está agendando convênio com a UFPI e pretende incluir o estudo técnico de viabilidade do Parque o quanto antes.
“Diante da especulação imobiliária da região e dos desmatamentos ilegais, resolvemos tomar essa importante iniciativa, que tem como meta a preservação do nosso meio ambiente. Com o desenvolvimento da região, se não preservarmos a área que contempla o Salão da Serra, possivelmente daqui há alguns anos não teremos mais esse cartão postal tão importante para nosso município. Acredito que o crescimento de qualquer cidade deve respeitar sua área ambiental”, destaca o gestor. 

Da Editoria de Cidades
cidades@cidadeverde.com