Cidadeverde.com

“Não há dúvida que houve estupro coletivo”, diz delegado de Bom Jesus

 

O delegado Aldely Fonteneli de Sousa afirmou ao Cidadeverde.com que não tem dúvidas que houve estupro coletivo contra a jovem de 17 anos em Bom Jesus (a 634 km de Teresina).

O laudo pericial constatou que houve conjunção carnal, mas não havia indícios de violência. Com base nos exames, o juiz Heliomar Rios determinou a soltura dos quatro adolescentes suspeitos do estupro ocorrido no dia 20 de maio.

Aldely e a promotoria mantêm a tese de estupro. 

“Todos têm participação no estupro seja na conjunção carnal como em ato libidinoso. Há provas materiais e testemunhais. O maior confessou que manteve relação com a jovem e declinou a participação dos quatro menores com riqueza de detalhes”, afirmou o delegado.

Segundo o inquérito da polícia, dois menores também teriam tido relações sexuais com a garota.

Combinaram versão

Para o delegado, os adolescentes combinaram a mesma versão do crime quando ficaram juntas em uma cela na delegacia.

“Eles passaram uma noite juntos e estão contando uma história idêntica, inclusive com vírgulas iguais”.

Durante audiência os adolescentes autorizam a polícia realizar exame de DNA. Com o teste é possível saber se houve ou não estupro coletivo. O delegado adiantou que existe a possibilidade de realizar o exame na Paraíba e não é Recife para ter um resultado mais rápido. 

De acordo com o delegado, o rapaz de 18 anos, que está preso em Bom Jesus, será indiciado por estupro de vulnerável e os quatro adolescentes irão responder por ato infracional análogo ao estupro de vulnerável.

 

Flash Yala Sena
yalasena@cidadeverde.com