Cidadeverde.com

Aluno da rede municipal é classificado entre os melhores em crônica do Brasil e disputará final em SP

Filho do zelador Claudio Alves Pereira, 32 anos, e da dona de casa Camila Oliveira Ferreira, 30 anos, fazendo parte de uma família sem condição de pagar ensino privado, o jovem Francisco Cássio Oliveira dos Santos, do 9º ano, da Escola Municipal Professor Hilson Bona, mostra, que quando há vontade de estudar, a escola pública é um caminho para o sucesso.  Ele é a mais nova estrela da educação da rede municipal de Campo Maior a disputar um prêmio nacional das Olimpíadas de Português. Ele vai disputar a final, na categoria crônica, em dezembro em São Paulo.

“É muito bom, me sinto gratificado. Eu sempre gostei de escrever, embora goste mais de lê, quando a gente lê muito se dar muito bem na escrita”, disse Francisco Cássio, deixando um dos segredos de seu sucesso na conquista da semi final desta Olimpíada.  Segundo Francisco Cássio, a escola estimula muito o aluno a desenvolver as habilidades na produção de texto. “A escola estimula muito, existe muitas oficinas de português para aprimorar a leitura e a escrita”, contou.

Na crônica ele descreveu o que viu em uma cena, de um determinado momento em que esteve na Rodoviária de Campo Maior. Ele contou o relato  de uma mãe solteira, que estava com a filha nos braços, e em prantos, já quase de partida para outra cidade em busca de trabalho e sobrevivência, antes de viajar ela teve que deixar a criança com o pai dela, avó do bebê, deixando para trás parte da sua história e de seu coração. Esta foi a sua inspiração.

Segundo a professora Solange Andrade Ribeiro as Olimpíadas de Português acontecem a cada dois anos. Anterior a este período os professores de português trabalham com todos os alunos na sala em forma de oficina. “Todo o material da Olimpíada está disponível no site escrevendo o futuro, a única coisa que o professor precisa fazer é se planejar e envolver os alunos, trabalhando as técnicas e o desejo deles pelo desenvolvimento textual”, explicou.

O trabalho na opinião da professora não é fácil porque depende muito da motivação de cada aluno. “A gente sabendo planejar as aulas, os meninos se envolvem realmente. No início eles têm muitas dificuldades, mas depois com as oficinas eles vão desenvolvendo até chegarem no produto final”, comentou Solange Andrade, ressaltando, que o eixo de produção textual é muito importante. Para que isto aconteça o professor trabalha primeiro a leitura.

“Para poderem produzir, os alunos vão ter que ler, fazer pesquisa, a parte de conhecimento linguístico também é muito importante. Nas oficinas desenvolvemos todos estes eixos na língua portuguesa”, disse. Para a professora, este resultado é muito gratificante,  por trata-se da realização de todo um trabalho, de um processo e não somente o dela, mas de todos os professores de língua portuguesa da Escola Hilson Bona.

“O aluno vem de um processo de séries anteriores onde os professores trabalham produção textual e hoje vemos este resultado, um aluno que foi classificado entre os 569 semi finalistas, na categoria crônica. Estamos nos 125 melhores textos. Isto é muito interessante, do Piauí são cinco representantes concorrendo com alunos de todo o Brasil. Vamos a São Paulo participar de oficinas, nos preparando para a etapa final e nacional”, declarou, mostrando que nos dias 23,24 e 25 de outubro vão para a regional se preparar para a etapa final.

Os pais de Francisco Cássio,  Cláudio Alves e a dona de casa Camila Oliveira contaram como é relação com o filho em casa para faze-lo entender que educação é importância para o futuro dele. “A gente fica feliz de ver o esforço dele,  por esta conquista. Isto é muito gratificante. O que tem ajudado bastante é sempre conversarmos com ele, mostrarmos algumas situações e mostrar para ele as orientações da Bíblia. O que aprendemos passamos para os nossos filhos em casa”, enfatizou. O casal além, de Cássio  tem uma filha de 7 anos de idade.

“Nós sabemos que não é fácil, eu tenho consciência da rotina de um professor, nós sabemos que somente por meio da educação é possível mudar o mundo, e graças a Deus a nossa educação está evoluindo, nós estamos conseguindo avançar, não precisamos falar, os números mostram os resultados, por isto, temos a certeza que estamos caminhando na direção certa", explicou o prefeito Professor Ribinha, destacando que a educação pública de qualidade só evolui se houver a parceria das famílias com a escola.

 

cidades@cidadeverde.com