Cidadeverde.com

Campo Maior: Fundação Zé Didor e Núcleo de História do TJ-PI firmam acordo

Foto: ascom

A Fundação Cardoso Neto e o Núcleo de Memória e História do Poder Judiciário do Piauí firmaram acordo de cooperação técnica, na manhã desta segunda-feira (22). O evento aconteceu no Museu Zé Didor e contou com a presença do prefeito, Joãozinho Félix; do secretário de Turismo e Cultura, Devan Eugênio; do presidente do Núcleo de Memória e História do TJ-PI, Des. Luiz Gonzaga Brandão de Carvalho; do juiz Edson Alves da Silva e do presidente da Fundação Cardoso Neto, José Cardoso da Silva Neto.

O objetivo do acordo é estabelecer colaboração técnica na área de gestão, conservação e preservação de documentos históricos, livros, registros, mapas, peças, artefatos, cartas e outros documentos importantes que constituem o acervo do museu. O termo de cooperação prevê a digitalização, tradução, organização, catalogação, divulgação, higienização, recuperação, limpeza e a publicação dos documentos.

“Em Cocal, uma estação ferroviária semelhante a esta foi completamente reformada e transformada numa casa de cultura possibilitando o resgate da história local. Fica o nosso apelo para que o mesmo aconteça em Campo Maior. Tenho a certeza que será um grande salto na cultura e no turismo do município”, disse o presidente do Núcleo de Memória e História do TJ-PI, Des. Luiz Gonzaga Brandão de Carvalho.

O presidente da Fundação Zé Didor, José Cardoso da Silva Neto, falou que o convênio é um grande passo para garantir a preservação do acervo do museu e destacou a sensibilidade do prefeito Joãozinho Félix pela cultura:  “Fico bastante feliz pela condecoração e pelo interesse que esta gestão tem demonstrado pela causa da cultura. Todo investimento que se fizer na recuperação deste museu e na preservação de suas fontes históricas mostram o compromisso com a promoção da cultura e o acesso à informação e ao conhecimento”, destacou.

Para o secretário de Turismo e Cultura, Devan Eugênio, o acordo firmado entre o Núcleo de Memória e História do TJ-PI e a Fundação Zé Didor é o reconhecimento do potencial cultural e turístico de Campo Maior: “Além de reestruturar este espaço, a nossa pretensão também é de torná-lo acessível ao público. Nós queremos despertar o interesse das pessoas pela história e incentivar o turismo local com mais um atrativo além de tantos outros que já temos”, disse.

O prefeito Joãozinho Félix falou que o acordo de cooperação técnica irá garantir a gestão do local e a preservação do patrimônio histórico do museu: “Não basta apenas reformar a estação. Além disso, é de fundamental importância pensar na gestão do local visando a execução de programas de trabalho, projetos, atividade ou evento. Todo o passado de Campo Maior encontra-se aqui e ele precisa ser preservado”, falou.

Da Redação
[email protected]