Cidadeverde.com

Sesapi contesta mortes de pacientes dentro de ambulâncias em Campo Maior

 

Atualizada às 11h30

O prefeito de Campo Maior (a 80 km de Teresina), Joãozinho Félix (MDB), confirmou que sete pessoas morreram dentro de ambulâncias, na porta do hospital regional do município, por falta de leitos disponíveis para tratamento de pacientes com covid-19. As mortes ocorreram de domingo(21) até esta terça-feira(23), segundo ele, eram pacientes do município e cidades circunvizinhas.  A Secretaria Estadual da Saúde (Sesapi) contesta a informação e disse que as mortes não ocorreram dentro de ambulâncias. 

Ele disse que as três ambulâncias do Samu, disponíveis em Campo Maior, estão servindo como leitos para pacientes com covid-19 usarem oxigênio, já que todos os 37 leitos (clínicos) do Hospital Regional da cidade estão ocupados e as cidades que podem ser feitas a regulação também não têm vagas. 

“Nós atendemos 22 municípios e não temos mais onde colocar ninguém. Domingo morreram três, segunda duas e ontem mais duas pessoas dentro das ambulâncias esperando vaga ou regulação para Piripiri ou Teresina. Estamos usando as ambulâncias como leitos para deixar os pacientes no oxigênio. As pessoas chamam o Samu e as ambulâncias não podem ir socorrer, porque estão com pacientes”, afirma o prefeito. 

Joãozinho reclama que o município não possui um leito de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). E destaca que a reabertura dos 27 leitos da Maternidade Sigefredo Pacheco, que passou por uma reforma ano passado, poderia amenizar a situação neste momento. 

“A maternidade está limpa, reformada, com equipamentos novos. O município já se comprometeu a fazer o repasse de R$ 120 mil, mas precisamos de um convênio com o governo do Estado que seria de R$ 180 mil para ser reaberta e o governo não responde. Já entramos em contato, pedimos ao secretário Florentino, mas até agora não temos resposta. Acredito que neste momento as adversidades políticas têm que ser deixadas de lado”, declara Joãozinho Félix que faz oposição ao governo do PT.

Sesapi diz que mortes não foram nas ambulâncias 

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) informa que não foram registrados óbitos de pacientes dentro de ambulância, na última terça-feira (23), à espera de leitos no Hospital Regional de Campo Maior (HRCM).

De acordo com a Sesapi, os dois óbitos registrados no dia 23 de março, foram de pacientes que já estavam internados na unidade de saúde.

A secretaria disse ainda que quanto à frequência de ambulâncias, na data de ontem, apenas dois veículos deram entrada, ambas para fazer transferência de pacientes para Teresina. 

"O HRCM dispõe de 14 enfermarias com 50 leitos (clínicos e de estabilização), com canalização de gases e toda a estrutura para atendimento de pacientes com Covid-19, além de dois médicos 24h e equipe multiprofissional.  No momento, a unidade de saúde possui 19 vagas. O Hospital Regional de Campo Maior atende a cidade de Campo Maior e 20 municípios da região. Quanto ao setor da maternidade no HRCM, o mesmo está em pleno funcionamento", finaliza nota da Sesapi.

Região colapsada

Campo Maior já registrou 4.102 casos positivos da doença e 86 mortes. O município fica no território dos Carnaubais que de acordo com o boletim do monitoramento realizado por Pesquisadores da UFPI/FioCruz, a região está colapsada, não há leitos disponíveis, no levantamento feito na última segunda-feira(22). 

Taxa de Ocupação dos leitos de UTI Covid-19 por Regiões de Assistência Covid do Piauí – 22.03.2021

Planície Litorânea - colapsado
Cocais - colapsado
Entre Rios, Carnaubais e Vale do Sambito - colapsado
Vale do Rio Guaribas Chapada Vale do Rio Itaim - colapsado
Vale do Caninde? - colapsado
Serra da Capivara - colapsado
Vales dos Rios Piaui? e Itaueiras Tabuleiros do Alto Parnai?ba - colapsado
Chapada das Mangabeiras - 77% de ocupação

*Colapsado > 95% de ocupação

 

Fotos: Ascom Prefeitura de Campo Maior

 

Caroline Oliveira
[email protected]