Cidadeverde.com

Funasa aprova obra de drenagem do Açude de Campo Maior

  • f338ae87-e419-4404-9fc9-75d7de746e64.jpg Divulgação / Campo Maior
  • f1e2a9e2-e455-4b04-97b4-e0b3fc4eada1.jpg Divulgação / Campo Maior
  • e3436bc0-ff8a-4f9e-9c9c-921e17e9a25a.jpg Divulgação / Campo Maior
  • cd592a99-951f-404a-b508-18dfc2a67361.jpg Divulgação / Campo Maior
  • c1f4979e-69a9-48bf-8495-8907a3b6ffff.jpg Divulgação / Campo Maior
  • aeef2405-dc28-4659-acf0-2c9456b16ec0.jpg Divulgação / Campo Maior
  • 450ffd9e-a72b-45d2-9b54-cd3a9ba68bec.jpg Divulgação / Campo Maior
  • 167ad397-9c16-4de6-9192-0606ebfbcddc.jpg Divulgação / Campo Maior
  • 95f5ef05-1709-4878-b3a8-162cd0b97bb0.jpg Divulgação / Campo Maior
  • 34c3aa89-4965-4a46-a9e2-483c3dcccd1d.jpg Divulgação / Campo Maior
  • 7e2c64d9-6e8d-4435-9d08-dc2afbca8b61.jpg Divulgação / Campo Maior
  • 7c6c215a-51e8-44ff-96a7-db96c423d291.jpg Divulgação / Campo Maior
  • 6b1b20a2-4b79-4222-acef-d27654e291ea.jpg Divulgação / Campo Maior

O engenheiro sanitarista da Funasa, Urias Gonzaga do Nascimento, vistoriou a obra do Açude Grande na tarde dessa terça-feira, 12, e aprovou os serviços executados pela Prefeitura de Campo Maior, recomendando a continuação da obra. “Nós analisamos a licença ambiental de posse da Prefeitura de Campo Maior e constatamos está dentro dos padrões técnicos”, revela o sanitarista.

Urias revela que a drenagem do Açude está cumprindo seu objetivo maior, que é melhorar o corpo hídrico, ou seja, a qualidade da água. “A retirada do lodo sedimentado na bacia é de fundamental importância para melhorar as condições sanitárias da água do lado, porque diminui o número de coliformes fecais presente no Açude”, destacou o engenheiro.

O prefeito de Campo Maior, Paulo Martins, garantiu o retorno da obra em dois dias.  Paulo Martins disse que os técnicos da Secretaria Estadual do Meio Ambiente (Semar) se equivocaram ao determinar a paralisação da obra. “O município tem total competência para fazer essa drenagem do Açude e a Secretaria Municipal de Meio Ambiente é habilitada para expedir licença ambiental sobre obras de pequenos impactos como essa do Açude”, explicou o prefeito.

Paulo Martins, que estava acompanhado do deputado estadual Aluísio Martins garantiu que o município já reuniu toda a documentação exigida pela Semar e que, no máximo, em 48 horas a obra retornará.

“Já retiramos 800 carradas de lama podre do Açude e o projeto prevê que, ao final, 5 mil sejam retiradas para que o Açude tenha nova capacidade de 6 milhões de metros cúbicos de água”, explica o prefeito.

Da Editoria de Cidades
cidades@cidadeverde.com