Cidadeverde.com

Secult divulga nomes dos selecionados para musical da Batalha do Jenipapo

A Secretaria Estadual de Cultura – Secult selecionou 64 atores e cantores que vão participar do espetáculo da Batalha do Jenipapo, dia 13 de março, em Campo Maior. Mais de 100 candidatos se inscreveram para a audição, aberta ao público, que aconteceu na última sexta-feira (12), no Teatro Torquato Neto, no Clube dos Diários. No total, foram selecionados 40 candidatos com registro profissional na DRT (Delegacia Regional do Trabalho), 20 sem registro e quatro alunos da Escola Técnica de Teatro Gomes Campos.
 
Os inscritos foram avaliados por uma banca formada por profissionais da área, incluindo o diretor do espetáculo, Franklin Pires, e a atriz Lari Sales, representando o Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos de Diversões do Estado do Piauí – SATED. “Muitas pessoas já trabalham com o teatro e já até participaram de outros espetáculos da Batalha. Priorizamos quem já tem experiência, mas também abrimos oportunidade para quem está começando na área”, explica o diretor Franklin Pires.
 
Durante a audição, os inscritos interpretavam e/ou cantavam alguma música. O perfil dos personagens também foi levado em consideração na hora da escolha. O ator José Bonifácio foi um dos que participou da seleção. Ele é ator profissional e ao se apresentar justificou a sua presença: “Faço porque gosto”. José Bonifácio está entre os 40 profissionais escalados para o espetáculo.
 
A jornalista e professora Graça Targino também foi ao Clube dos Diários participar da audição. “Sou professora desde criança. Já fiz alguns cursos de teatro e sempre disse que o bom professor tem que ser um bom ator. Soube da audição e resolvi participar. O máximo que poderia acontecer era não ser selecionada”, diz. No entanto, o texto apresentado à banda também classificou a professora e ela passa a integrar o elenco do espetáculo.
 
"É um espetáculo novo, diferente dos anos anteriores. O enfoque principal são os heróis sem nome de Campo Maior. Terão números musicais emocionantes que ajudam a contar a história. As cenas de luta serão bem mais reais e será cinematográfico. Os atores vão representar pessoas do povo, entre nobres portugueses, Exército e o povo do Piauí”, completa o diretor Franklin Pires. Quem assina o texto da peça é Bernardo Aurélio. Neste ano, a participação especial é do ator Carlos Casagrande.

Da Editoria de Cidades
cidades@cidadeverde.com