Cidadeverde.com

Vídeo de carreata causa polêmica e pode parar na Justiça

Atualizada as 14h08 em 13 de setembro

Um vídeo da carreata do candidato a vereador de Campo Maior, Edvaldo Lima (SD), ganhou repercussão nas redes sociais e tem causado polêmica podentdo até parar na Justiça do Piauí. Trata-se de duas mulheres que dançam em cima de um carro de som e acabam levantando a saia para os outros motoristas na rua. De um lado, acusações de excessos por parte do candidato e das apoiadoras, do outro a acusação de preconceito contra as as duas, que são transformistas que apoiam os eventos de campanha do candidato.

Em um dos quase 50 compartilhamentos do vídeo postado no Facebook por Izabel Carvalho, a moradora afirma que a manifestação é uma "falta de respeito e consideração com as famílias de bem de Campo Maior" e reforça ainda que proibiria o marido de participar de um evento como esses.

Por telefone, o candidato diz que concorda que houve excesso por parte dos artistas, mas segundo ele, as acusações não passam de preconceito. Edvaldo Lima defende ainda que os três jovens que se vestiram de mulher para participar do evento estão fazendo sucesso em sua campanha e que irão levar o caso para a Justiça por difamação.

"Eles estavam lá de livre e espontânea vontade - não tem o meu consentimento - apenas foi uma manifestação própria das tranformistas que tem participado da nossa campanha e tem sido super bem recebidas. O problema é que alguém com inveja do nosso sucesso achou por bem reclamar. Mas isso na verdade é preconceito e elas já se manifestaram até para levar até a justiça", explicou o candidato.

O Cidadeverde.com tentou contato com os artistas mas até a publicação desta matéria não obteve retorno.

Em conversa com o Cidadeverde.com Izabel afirmou que não estava na caminhada e garantiu que sua postagem não teve cunho preconceituoso, apenas de crítica aos excessos cometidos.

"Não gravei, nem na caminhada eu estava me passaram o vídeo e eu postei. Nada a ver com as moças. Fiquei indignada com o atentado ao pudor em vias públicas. Política pra mim é proposta ...foi só. Só que nunca pensei que fosse causar indignação em tanta gente. Sou uma pessoa do bem . Não tenho preconceito e muito menos sou homofóbica. Aprova disso é a quantidade de amigos homossexuais que tenho e que me deram apoio porquê me conhecem. Jamais teria atitudes dessa natureza porquê sou defensora da causa", pontuou a internauta. 

Rayldo Pereira
rayldopereira@cidadeverde.com