Cidadeverde.com

Ribinha visita abrigos e destaca a qualidade da assistência às famílias alagadas

O prefeito de Campo Maior Professor Ribinha voltou a visitar nesta  segunda-feira (08/04) os abrigos das famílias vítimas de alagamentos no  município. Desde a noite da última quinta (4), quando o volume de água  subiu e alagou pelo menos 13 pontos do município, Ribinha percorreu os  locais atingidos, visitou abrigos e acompanhou o trabalho das equipes  que atuam na assistência às famílias.

No Ginásio Poliesportivo, o prefeito ouviu membros das três famílias que  se encontram alojadas no local. Na Unidade Escolar Hilda Miranda, no  Bairro São João, conversou com as pessoas sobre melhorias para as  moradias atingidas. No bairro de Flores, Ribinha visitou a antiga sede  da escola Raio de Esperança e a Unidade Escolar Briolanja Oliveira, onde  ouviu os anseios e anotou sugestões dos moradores.

Ao final, o prefeito elogiou o serviço de assistência prestado no  município. “Em todos os locais ouvi das pessoas como elas estão sendo  bem acompanhadas. Fiquei surpreso porque mesmo em um momento difícil  elas não esqueceram de agradecer. É nossa missão cuidar muito bem dessas 
famílias nesse momento de dificuldade”.

Equipes da Defesa Civil e Assistência Social atuam desde a quinta-feira  (04/04) na retirada das famílias, na organização dos abrigos e  cadastramento dos atingidos. A força tarefa mantém as famílias com café  da manhã, almoço e jantar e ainda atendimento psicossocial, enquanto 
equipes da saúde prestam atendimentos e distribuição de medicamentos.

“Colocamos toda nossa estrutura da administração à disposição dessas  famílias. Temos a consciência tranquila que juntamente com voluntários e  os campomaiorenses de bom coração estamos amenizando o sofrimento dessas  pessoas com uma excelente assistência”, finalizou Ribinha agradecendo  também a mobilização da sociedade.

Muita gente desabrigada

Segundo a Defesa Civil, mais de 90 famílias se encontram nos 18 abrigos  da prefeitura, por outro lado, outras 200 estão em casas de parente ou  amigos. Ao todo, cerca de 2 mil pessoas sofrem os efeitos dos  alagamentos em Campo Maior.

A Defesa Civil alerta que o volume das águas está baixando, mas as  famílias não devem retornar para suas casas antes que as equipes emitam  laudos garantindo a confiabilidade das estruturas. O órgão informa que pelo menos cinco residências já desabaram em consequência das chuvas.

Fonte: Ascom