Cidadeverde.com

Gerência de trânsito emite alvarás a mototaxistas

Mototaxistas de Campo Maior começam a trabalhar legalizados a partir desta segunda-feira (02). Os profissionais estão recebendo alvarás de funcionamento, depois que o promotor Cláudio Bastos exigiu que fosse feita fiscalização pela polícia militar, para o cumprimento da resolução de Nº 350 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) de 10 de junho de 2010.


Depois de se reunir com os mototaxistas, a gerência de trânsito planeja implantar uma padronização para a oficializar a categoria no município. De acordo com a lei, existem alguns requisitos para quem pretende exercer a profissão de motofrete. Dentre essas estão: ser membro da associação, maior de 21 anos, possuir CNH categoria “A” por pelos menos 02 anos e curso de condução de passageiro de 30 horas.

Segundo Reginaldo Costa, gerente de trânsito, apenas a minoria está com todas as exigências em dias.“Aqueles que não possuem, estamos providenciando suas qualificações para credenciamento”. 

Com a legalização do serviço,os profissionais serão microempreendedores inscritos no EI, receberão placa vermelha, uma outra placa amarela indicativa, numeração no tanque, e ainda numeração para dois capacetes.

Também estão sendo providenciandos os pontos para os mototaxistas em torno de 12 a 15 lugares, que estarão devidamente sinalizados, “Já conversei com o prefeito Paulo Martins que faz questão que os profissionais tenham locais com referência para poderem exercer sua profissão com dignidade”, argumenta Reginaldo.

A legalização da profissão trará benefícios também para os usuários desse tipo de transporte, uma vez que os mototaxistas precisarão passar por um curso de condução de passageiro de 30 horas/aula. 

"No intuito de incentivar os mototaxistas a estarem com a documentação em dia, entramos em contato com auto escolas de Teresina para poder diminuir os custos destes profissionais com essa qualificação", finaliza Reginaldo Costa, gerente de trânsito.


Da Editoria de Cidades
cidades@cidadeverde.com

Campomaiorenses lançam livro sobre motivação

Os campomaiorenses Ana Cunha e Thesco Silva lançaram livro na noite de sexta-feira (30). A solenidade de lançamento aconteceu na Câmara Municipal de Vereadores com a presença de secretários municipais, professores, estudantes, jornalistas  e membros da Academia Campomaiorense de Artes e Letras (Acale).

                       Fotos: Jonas Sousa

O livro que leva o nome “Quando a porta se abre” parte da idéia central de que, para nos motivarmos precisamos de um objetivo e a determinação de alcançá-lo. O movimento nos leva a agir e nos mantém vivo e a ação, portanto, é essencial para que possamos atingir as metas que estabelecemos para nós mesmos.

A solenidade foi aberta pelo escritor e presidente da Acale, João Alves Filho. 

Elogios endossando a qualidade da obra não faltaram. “A motivação que os escritores transmitem ao leitor é, assim, um guia de linguagem acessível e objetiva que apresenta dicas práticas de como estimular a mudança em diferentes áreas da vida, a fim de vencer desafios e alcançar metas de uma forma muito mais rápida e eficiente" disse  o escritor Neto Sambaíba.  

                       Artista Jesus Andrade fez a arte da capa

Os autores, ao contrário do que é comumente dito, ensinam que não existe fórmula para alcançar o êxito profissional e a realização pessoal. “O segredo está na ação, o gérmen da própria transformação está em você, e não em frases feitas”, afirmam.

Dividido em capítulos, o livro aponta como é possível obter a realização em diferentes setores da vida ― trabalho, saúde, relacionamentos e no dia a dia.

O músico Corinto Brasil prestou uma homenagem ao poeta e cordelista Cunha Neto, pai da escritora Ana Cunha, com o poema 'Advertência' transformado em música.


Logo após a cerimônia, os escritores autografaram livros. 



Conheça mais sobre os autores

Ana Maria Oliveira Cunha, filha do cordelista José Cunha Neto e Ana assunção Cunha, é pedagoga, escritora, palestrante e membro da Acale, ocupando a cadeira nº 12. Autora do romance 'Tudo a seu tempo'.   


Francisco Alves da Silva (Thesco Silva ) filho de Manoel Alves da Silva e Gonçala Rosa da Silva, Locutor esportivo de rádio e TV. Bacharel em direito, publicitário e palestrante e secretário municipal de Planejamento.


Da Editoria de Cidades
cidades@cidadeverde.com

Colaboradores montam 'batalhão' de combate a dengue

Um batalhão de colaboradores da Secretaria de Saúde, Infra-Estrutura e Defesa Civil começaram na manhã dessa sexta-feira (30)o mutirão de combate à dengue no bairro Matadouro, um dos locais com maior incidência de foco do mosquito Aedes Aegypti da cidade. 


A rua Santa Luzia, que é totalmente desprovida de saneamento básico, foi a primeira a receber a equipe. No local vários criatórios do mosquito foram localizados e destruídos pelos agentes. Máquinas da força tarefa fizeram a drenagem e o nivelamento das ruas para acabar com as poças de água que funcionam como criatórios de mosquito. 

O prefeito Paulo Martins, que fez a abertura oficial dos trabalhos, explicou que nas ruas onde não há calçamento serão usadas as máquinas e nas vias pavimentadas somente será feito um trabalho de limpeza manual pelos operários da infra-estrutura.

Por outro lado os agentes de saúde e de endemias estão fazendo um trabalho de identificação e de destruição dos criatórios do mosquito dentro dos quintais das residências, orientando os moradores sobre a doença. “São pneus, vasos e manilhas que acumulam água. Esses locais estão sendo esvaziados e limpos. O lixo está sendo colocado em sacolas e deixado na calçada para o caminhão colher e depositar no lixão”, explicou o agente de endemias Mário Gama.


O coordenador da força tarefa, Gilberto Araújo, informou que o trabalho do mutirão no Matadouro deve durar até a próxima semana, mas garante que todos os domicílios do bairro serão visitados e será feito o que for preciso para afastar o perigo da dengue. “O Matadouro já foi no passado o segundo local com maior número de foco de dengue da cidade, perdendo apenas para o Cariri, por isso estamos com uma atenção especial aqui”, ressalta Gilberto Araújo. 

O presidente da Associação de Moradores do Matadouro, Valdecir da Silva, disse que em oito anos o bairro Matadouro ficou totalmente esquecido de ações públicas e que a força tarefa é uma iniciativa social que está mostrando resultados efetivos. “Aqui na Rua Santa Luzia, por exemplo, há oito anos a população espera por um calçamento. Era  necessário uma ação concreta para amenizar esse problema das lamas e da dengue”, diz o presidente.

Da Editoria de Cidades
cidades@cidadeverde.com

Agentes de endemias recebem aumento salarial

Os agentes de endemias de Campo Maior terão seus salários equiparados com os agentes de saúde, que atualmente têm um piso de R$ 750. O reajuste, de quase 25%, valerá a partir do dia 1º de abril e será pago em maio. Além desse aumento, os agentes ganharão o adicional por tempo de serviço ainda este ano e poderão ter aprovado o Plano de Cargos e Salários.

                     Foto: Jonas Sousa

As garantias foram acertadas após uma reunião com o prefeito Paulo Martins. Os 30 agentes de endemias compareceram ao encontro e fizeram as reivindicações. O prefeito disse que no ano passado concedeu um aumento para a categoria de quase 20% e esse ano chega a 25%.

O agente de endemias, Mário Gama, disse que o salário da categoria estava defasado desde 2005, quando eles recebiam quase 1,5 salário mínimo e até 2010 esse valor é apenas R$ 12 a mais. “Só nesse mandato estamos acumulando 44% de aumento. Isso é bom para a nossa categoria que há seis anos não recebia aumento real”, lembrou Gama.

"Após um estudo de impacto financeiro na folha avaliaremos quando podemos conceder o adicional por tempo de serviço aos agentes de endemias. A gratificação será destinada ao funcionário que tem acima de 10 anos de serviços prestados à saúde", disse o prefeito.

Outra melhoria para a categoria que ainda está em analise pelo executivo é o Plano de Cargos e Salários dos servidores da saúde. O projeto ainda está sendo elaborado por uma comissão formada por servidores e gestores para depois ser encaminhado para a Câmara de Vereadores.

Da Editoria de Cidades
cidades@cidadeverde.com

Réu acusado de homicídio poderá responder em liberdade‏

A morte do desempregado Paulo Fernando da Silva, assassinado a golpes de canivete em abril de 2006, parece ter tido um desfecho na manhã desta quarta-feira (28). O acusado Wanderson Bandeira Santos Macedo foi condenado a 6 anos e 3 meses de prisão. A pesar de confessar a morte, o réu poderá responder em liberdade caso recorra da decisão.

                 Foto: Jonas Sousa

O julgamento durou cerca de 10h e Wanderson Bandeira foi condenado por homicídio simples, o que caberia uma pena de 5 a 20 anos de reclusão. Devido as circunstâncias serem favoráveis ao réu - tais como bons precedentes, comportamento e personalidade - ele teve a sentença reduzida.

A defesa, representada pelo advogado Décio Mota, alegou que seu cliente havia cometido o crime em legítima defesa. O argumento não convenceu os jurados, pois na ocasião a vítima encontrava-se desarmada e havia ingerido bebida alcoólica, não tendo como se defender. 

O réu poderá responder em liberdade caso recorra da decisão em um prazo de cinco dias. “ O juiz autorizou que ele recorresse em liberdade caso a defesa faça os procedimentos legais dentro do prazo. Caso ele não recorra será expedido um mandado de prisão onde o réu deverá cumprir a sentença na penitenciária Major César”, explicou o promotor Cláudio Bastos.
 
Entenda o caso

Durante uma festa de formatura no ano de 2006, o desempregado Paulo Fernando da Silva, após ingerir bebida alcoólica, dormia em uma cadeira no Iate Clube de Campo Maior. 

Um homem identificado como Elis, amigo do réu, havia chutado a cadeira da vítima que caiu ainda desacordada.
 
Neste momento, os amigos da vítima começaram uma discussão e Paulo Fernando acordou e revidou as agressões.

Como a vítima não havia encontrado Elis, começou-se uma briga com Wanderson Bandeira, que após trocar agressão, sacou um canivete e apunhalou o peito esquerdo de Paulo Fernando, que morreu momentos depois. 

Graciane Sousa ( Especial para o Cidadeverde.com)
cidades@cidadeverde.com


Moradores do bairro São João são contemplados com quadra de esportes

Moradores do bairro São João, Campo Maior,  estão sendo beneficiados com a construção de uma quadra de esportes. O prazo de conclusão da obra é de 90 dias e atenderá diretamente aos jovens para prática de esportes e atividades culturais.

A quadra está sendo construída nas proximidades do Colégio Hilda Miranda. De acordo com o encarregado pelos trabalhos, Domingos Pereira de Carvalho, a quadra contará com arquibancadas.

                             Fotos: Jonas Sousa

O morador da comunidade, Ezequiel de Araujo Newton, afirma que a obra  representa um incentivo para o esporte. “Esta quadra, sem dúvidas, é um incentivo excelente porque vai ajudar os jovens que jogam bola em campo improvisado a ter um espaço adequado, fazendo com que eles tenham uma ocupação e se desviem do caminho das drogas”, enfatizou Ezequiel Newton.


José Ronaldo de Sousa, “conhecido como Bibi”, que reside no bairro desde que nasceu falou que espera há  muito tempo pela construção da quadra. “É um sonho realizado e um incentivo melhor para a juventude local, agora temos um espaço para ensaiar a Quadrilha Coqueiro Verde, que existe há 38 anos e se apresenta todo ano em Campo Maior e em outros municípios”, explicou Bibi. 

Esta é mais uma das ações em homenagem aos 250 anos, que será comemorado no dia 08 de agosto, por ocasião do aniversário de emancipação política da cidade.

Da Editoria de Cidades
cidades@cidadeverde.com

Principais vias recebem sinalização vertical

As principais ruas e avenidas de Campo Maior receberam sinalização vertical na manhã desta quarta-feira (28).O Gerente de Trânsito Reginaldo Costa disse que nessa etapa serão colocadas 725 placas, uma média de 50 por dia.

         Foto: Jonas Sousa

“Agora estamos colocando placas de regulamentação e advertência em várias vias da cidade e os trabalhos já  foram efetuados nos Bairros Flores, Fátima, Cidade Nova e parte do Centro da cidade”, destacou Reginaldo. 

Após a colocação das placas serão colocados semáforos sensoriais nos principais cruzamentos da cidade,  um modelo moderno de sinalização usado nas principais cidades do Brasil.

Da Editoria de Cidades
cidades@cidadeverde.com

Oposição inicia discussão sobre o candidato a prefeito em Campo Maior

Líderes do Partido Progressista Social (PPS) se reuniram neste sábado (24) para discutirem o candidato oposicionista nas eleição municipal em Campo Maior. O encontro regional do PPS contou com a presença de vereadores, pré- candidatos a prefeito, o presidente do diretório regional, Celso Henrique e vários presidentes de diretórios municipais, entre eles o de Campo Maior João Alves Filho.


O ex-prefeito João Félix fez uma explanação da sua vida política, informando aos presentes como administrar bem uma cidade, e citou como exemplo Jatobá do Piauí e Campo Maior.

O deputado Antônio Félix disse que a oposição tem bons nomes para comandar o município. 'Peço apenas paciência ao povo e garanto que o nome do candidato será decidido com o apoio de todo o grupo opositor", disse o deputado. 

A médica Liége Cavalcante disse que continua grata com o apoio que recebeu nas eleições suplementares, e que vai retribuir com o seu trabalho independente de quem seja o candidato. 

Fonte: Acessecampomaior

Moradores são contemplados com a entrega de moradias

Mais 50 famílias da zona rural de Campo Maior foram beneficiadas com o projeto de financiamento do Programa Nacional de Habitação Rural. Corcundo, Porção, Beluarte e Nova Vida foram as comunidades contempladas. A doação de terrenos para construção das casas do PNHR foi realizada neste domingo (25). 

                     Fotos: Jonas Sousa

O prefeito Paulo Martins assinou as autorizações de uso de terras públicas e as entregou para as 50 famílias beneficiadas. “A Caixa tem uma série de critérios para se cercar de todos os cuidados e liberar o financiamento das casas. Agora o projeto só anda se tiver a assinatura do prefeito e estou aqui prontamente atendendo a legislação”, ressalta Paulo Martins.


O prefeito informou que em Campo Maior, só em 2011, já foram liberados os projetos de 150 casas populares na zona Rural. Antes do Corcundo, já tinham sido contempladas as famílias das comunidades Nova Vida e Porção II. Paulo Martins explica que somente nesses projetos serão investidos cerca R$ 2 milhões e 250 mil.

O responsável pela elaboração dos projetos, David Antunes, explicou que, especificamente nesse projeto do Corcundo, foram liberados as moradias para 18 famílias dessa comunidade e complementado para as famílias do Porção (06), Beluarte (13) e Nova Vida (13). “Estamos totalizando mais um bloco de 50 casas que serão encaminhadas para a Caixa Econômica Federal”, confirma David.

O projeto está sendo executado pela prefeitura, associações de moradores e a Caixa Econômica Federal. 

Da Editoria de Cidades
cidades@cidadeverde.com

Prefeitura assume gestão dos recursos do SUS em Hospital Regional

A saúde de Campo Maior está efetivamente municipalizada. A notícia foi divulgada na  manhã dessa sexta-feira (23) após reunião entre o prefeito Paulo Martins, representantes da saúde municipal, o superintendente de Assistência à Saúde Estadual, Ernandes Maia, e técnicos da Secretaria de Saúde.

              Fotos: Jonas Sousa

O SUS municipal vai repassar mensalmente R$ 155 mil para que o HRCM possa executar os seus procedimentos médicos. O termo de adesão foi assinado pela diretora administrativa do HRCM, Juliana Linhares.
 
“O hospital de Campo Maior é uma referência regional. Para se ter uma idéia são atendidos, em média, 12.600 pacientes por mês no HRCM. São atendimentos ambulatoriais, internações e emergências. Todos esses procedimentos são pagos pelo SUS, que agora será gerenciado de forma efetiva pelo município”, explica o prefeito.

 
Paulo Martins ainda explicou que o pacto entre o município e o HRCM terá validade, inicial, de seis meses, quando será feita uma reavaliação para analisar o impacto da municipalização dos recursos. “É importante ressaltar que a parte administrativa e clinica do hospital ficará a cargo do Estado; O município fica a responsabilidade de fazer a gestão do SUS”, ressalta o prefeito.

O superintendente Ernandes Maia disse que a saúde de Campo Maior será um modelo de gestão que deverá ser seguido pelos demais municípios do Piauí. “Eu quero parabenizar o prefeito Paulo Martins por ter essa preocupação com a gestão da saúde de Campo Maior”, disse ele durante a reunião.
 
Além do prefeito, estiveram na reunião a secretária de Saúde, Gercina Borges, o vereador Marco Pereira, e o superintendente de programas da SMS, Jairo Fortes.


Da Editoria de Cidades
cidades@cidadeverde.com

Posts anteriores