Cidadeverde.com

Ações comemoram o Dia Mundial da Água

Uma programação especial na Praça Luiz Miranda, centro da cidade de Campo Maior, marcou o Dia Mundial da Água nesta quinta-feira (22). Através de blitz educativas, distribuição de material informativo e entrega de mudas, a população recebeu informações de como preservar o meio ambiente. 

                   Fotos: Jonas Sousa

Segundo a secretária de Meio Ambiente, Conceição Paz, durante todo ano o órgão desenvolve programas que destacam o uso racional da água e neste dia as atividades são acentuadas. “No evento de hoje devem comparecer escolas das redes municipal, estadual. Iremos repassar informações sobre o uso consciente da água e através de forma lúdica, ensinar as crianças a cuidarem do planeta e dos recursos naturais. Vamos distribuir também sacos de lixo, cartilhas e garrafinhas de água", explicou.


Com o  tema “Plantar uma Árvore garante Água para o futuro e uma vida saudável”, no evento também foram abordados outras temáticas como o uso racional da água e recursos naturais. "Enfatizamos também outros temas importantes lembrando aos adultos e ensinando as crianças de que não se deve jogar lixo no chão, como fazer o bom uso da água, economizar energia, não produzir muito lixo e reciclar ou separar para a coleta seletiva o lixo, discutindo as questões ambientais como um todo, com foco nos recursos hídricos",, finaliza Conceição Paz.



Da Editoria de Cidades
cidades@cidadeverde.com

Vigia morre ao cair de escada dentro de escola

Um vigia do colégio Alfabetoc, localizado no município de Campo Maior (84 km de Teresina) morreu no final da tarde da última quarta-feira (21) em um suposto acidente de trabalho. O funcionário, conhecido como "Seu Costa", teria caído de uma altura de 15 metros quando a escada que ele usava para trocar uma lâmpara queimada escorregou.

O Serviço Médico de Urgências (Samu) foi chamado ao local, mas ao chegar já encontrou o vigia sem vida. O titular da delegacia de Campo Maior, delegado Daniel Pires, foi ao local para investigar a causa da morte. "Seu Costa" tinha aproximadamente 55 anos e caiu do 3° andar do prédio da escola particular.

A escada estava segura numa grade e teria escorregado. Seu Costa caiu próximo à quadra de esportes onde havia várias crianças realizando atividade física e assistiram toda a cena.

A direção do colégio informou que o corpo está sendo velado nesta quinta-feira, na residência onde "Seu Costa" morava, no bairro Santa Rita. As aulas da escola estão suspensas até segunda-feira (26).

Com informações do Acesse Campo Maior e do Campo Maior em Foco
Redação de Jordana Cury
redacao@cidadeverde.com

Praça Bona Primo passa por reformas estruturais

Um símbolo da cidade de Campo Maior, a Praça Bona Primo, passa por reformas estruturais. Após quase 50 anos, a tubulação começou a ser trocada pelo Saae (Serviço Autônomo de Água e Esgoto). O objetivo é melhorar o abastecimento, servindo água de qualidade, e acabando com o desperdício. 


Estão sendo investidos R$ 1,2 milhão dos cofres municipais com a substituição da encanação. Ao todo estão previstos 20 quilômetros de nova tubulação no centro da cidade. Estão sendo retirados os canos de ferro e colocados os tubos de PVC, que são sanitariamente mais corretos.


Na próxima fase será substituída a encanação da Avenida Demerval Lobão, Rua Padre Fábio e 7 de setembro. A ação faz parte das comemorações dos 250 anos da cidade.


Segundo o diretor em exercício do Saae, João Lima, no caso da Praça Bona Primo, o serviço deverá ser concluído na próxima semana. O local teve prioridade por conta de um alto de índice de desperdício de água e por se tratar de uma das encanações mais antigas da cidade. “Aqui a encanação deve ter uns 50 anos ou mais. Nós também estamos priorizando esse setor por conta da proximidade das festas de Santo Antônio e temos que deixar o local preparado”, justifica.

O prefeito Paulo Martins acompanhou o andamento da obra da Praça Bona Primo e revelou que o planejamento feito pela Saae está sendo cumprido. “Vamos dar maior qualidade na água que agora está chegando com força nas torneiras”, completa Paulo Martins.


Da Editoria de Cidades
cidades@cidadeverde.com

Campo Maior: Paulo Martins concorre a prêmio 'Prefeito Empreendedor'

A Prefeitura de Campo Maior é uma das finalistas da 7ª edição do Prêmio Prefeito Empreendedor. O prefeito Paulo Martins poderá ser premiado no evento acontece no dia 03 de abril, no auditório do Sebrae, em Teresina e tem apoio da Confederação Nacional de Municípios; Frente Nacional de Prefeitos; Banco do Brasil; Governo Federal, entre outros.

Este evento premiará as boas ações desenvolvidas por gestores municipais em favor do surgimento e fortalecimento de micro e pequenas empresas. Foram várias etapas para chegar ao resultado estadual, como a fase de inscrições, seguida da aprovação dos projetos.

Uma comissão formada por representantes da UFPI; Banco do Nordeste e BB julgaram as ações inscritas e definiram quais municípios seriam visitados. O prefeito Paulo Martins concorre com a iniciativa de promover e incentivar o fortalecimento do empreendedorismo individual na cidade, que ocupa hoje a terceira posição no ranking estadual de E.I.s.

Graciane Sousa ( Especial para o cidadeverde.com)
cidades@cidadeverde.com

Alunos estão entre os finalistas em Feira Nacional de Ciências

Os alunos Jucimary Paixão Macedo, Isauira Cristina Frota Ximenes, Wanderson Nascimento Barbosa e Maria Beatriz Dias, da Escola Estadual Cândido Borges, em Campo Maior, estão entre os finalistas da 10ª edição da Febrace (Feira Brasileira de Ciências e Engenharia), que aconteceu entre os dias 13 a 15 de março, em São Paulo. Com o projeto 'Chega de Calor' , os alunos concorreram com cerca de  325 projetos desenvolvidos por jovens talentos de todas as regiões do país. 

A maior feira brasileira de Ciências e Engenharia, visa estimular o espírito investigativo e empreendedor nos jovens – algo fundamental para uma econômica baseada no conhecimento. 

Os campomaiorenses apresentaram o projeto com o objetivo de livrar as pessoas do ar poluído, fazendo um ar condicionado de materiais recicláveis e peças velhas de computador.

Jucimary Paixão afirma que a relação custo-benefício é o grande diferencial do projeto apresentado durante a feira. Ainda em fase experimental, os jovens garantem que a invenção será inovadora. 

Os projetos deste ano foram selecionados entre 1.505 trabalhos, submetidos diretamente pelos autores e por meio das 54 feiras de ciências afiliadas. 

Os projetos finalistas serão avaliados por uma comissão julgadora. Os autores dos melhores trabalhos ganharão medalhas, bolsas de iniciação científica do CNPq, certificados e estágios, entre outros prêmios.

Também serão selecionados nove estudantes para representar o Brasil na Feira Internacional de Ciências e Engenharia da Intel (Intel ISEF), que neste ano acontece em Pittsburgh, nos Estados Unidos, de 13 a 18 de maio.


Graciane Sousa( especial para o Cidadeverde.com)
Cidades@cidadeverde.com





Autoridades se reúnem para reinauguração de escola

Neste domingo (18), o prefeito Paulo Martins e o Secretário de Educação José de Ribamar Carvalho entregaram a reforma da Escola Municipal Dr. César Ribeiro Melo, na localidade Lagoa Grande. Estavam presentes na solenidade o Secretário de Relações Institucionais César Robério, o Diretor de Trânsito Reginaldo Costa, a Coordenadora de Programas e Projetos da educação, Lucimary Barros, a Supervisora de Ensino Fabiana Brito, além de pais e alunos da comunidade.

                        Fotos: Jonas Sousa

A Escola Dr. César Ribeiro Melo foi fundada no ano de 1966 e atualmente atende desde a educação infantil ao fundamental menor. 

José de Ribamar ressaltou as mudanças ocorridas na educação. "Em pouco mais de um ano a realidade das escolas da zona urbana e rural foram visivelmente modificadas. Estamos primando pela qualidade do ensino e o bem estar dos alunos que são prioridades nesta administração", disse.


Entre as mudanças por qual passa a educação, o secretário listou questões estruturais. "Hoje na educação municipal não temos mais falta de merenda escolar, não temos mais sintina nas escolas e não existe atraso de salário, por isso, posso dizer que várias melhorias aconteceram e na educação isso é visível”, destacou o secretário de educação.

Da Editoria de Cidades
cidades@cidadeverde.com

Programas Federais são inaugurados na comunidade Alto do Meio

A comunidade do Alto do Meio conta com mais um serviço do poder público municipal. Foram inauguradas,  neste sábado(17) as instalações dos programas Peti (Programa de Erradicação do Trabalho Infantil) e Projovem (Programa Nacional de Inclusão dos Jovens), que atendem, respectivamente, 291 crianças e 30 jovens. Com essa nova unidade, o Peti desponta como um dos programas sociais mais sólidos do Piauí, chegando a quase mil crianças matriculadas.

         Fotos: Jonas Sousa

O prefeito Paulo Martins e a secretária de Desenvolvimento Social, Conceição Lima, cortaram a fita inaugural ao lado de populares e lideranças comunitárias, dentre elas a vereadora Josenaide Nunes, que lembrou em sua fala que há 3 anos lutava pela instalação dos dois programas no Alto do Meio. “Há três anos prometeram, mas agora eu vejo um sonho da comunidade se tornar uma realidade. Agora as nossas crianças e os nossos jovens vão ter o apoio social que tanto precisam”, destacou Josenaide.


Paulo Martins discursou lembrando que não só o Peti e o Projovem são reivindicações que foram atendidas na comunidade, mas também a instalação da iluminação pública, a melhoria no abastecimento de água do Retiro e Tuturubá, a construção do campo de futebol do Boguém e a reforma do Posto de Saúde. “Fizemos isso com recursos próprios e com a vontade de melhorar a vida desse povo”, ressaltou o prefeito.


Conceição Lima disse que está sendo respaldada para cumprir uma agenda para expandir programas que promovam a transformação social das pessoas, sobretudo os que permitem aos beneficiados, educação, profissionalização e cidadania. “É essa missão do Peti, do Projovem e a missão do poder público do município”, confirmou a secretária.


Da Editoria de Cidades
cidades@cidadeverde.com

Venda ilegal de casas populares são investigadas em Campo Maior

Após denúncias, a Secretaria de Habitação de Campo Maior iniciou processo investigativo para comprovar a venda ilegal de casas populares do projeto 'Minha Casa, Minha Vida'. Se forem comprovadas as irregularidades, os moradores perderão as casas e não poderão participar de nenhum cadastro do governo federal.


No último mês de fevereiro,  a secretaria através de lideranças dos residenciais Renascer I, Renascer II e Lindóia, iniciou um cadastro dos moradores destes residenciais para fazer um cruzamento de dados, confirmando se os contemplados iniciais são os mesmos que estão morando hoje nas casas.

A investigação será presidida pela Polícia Federal no intuito de identificar os responsáveis pela compra e venda de moradias nos residenciais Renascer, Lindóia e algumas casas em vários bairros de Campo Maior.

Os moradores envolvidos no esquema não poderão participar de nenhum cadastro do governo federal e ainda perderão as casas. A regra vale tanto para quem comprou como para quem vendeu. 

Através da observação de dados, cerca de 50% das habitações foram vendidas ilegalmente. O residencial Renascer possui em torno de 300 unidades e no Lindóia são 100 casas.
 
As casas destes residenciais custam em média R$ 25 mil reais, e segundo informações de lideranças comunitárias, são vendidas no mercado ilegal por apenas R$ 5 mil.

De acordo com a prefeitura de Campo Maior a investigação objetiva cumprir a lei, beneficiando os moradores que, verdadeiramente, necessitam de moradia. 

Cerca de 1000 pessoas ainda esperam ser contempladas com uma moradia. Em junho, 250 casas populares deverão ser entregues.


Da Editoria de Cidades
cidades@cidadeverde.com


Prefeitura lança projetos durante inauguração de assentamento

As 33 famílias do Assentamento Barro Vermelho, em Campo Maior, receberam nesta terça-feira ( 13) a documentação oficial da agrovila, que foi inaugurada pelo Governo do Estado e a Prefeitura Municipal. Na oportunidade foi liberado o recurso de R$ 22 mil para o pagamento das 56 toneladas de melancia que foram compradas pelo programa Compra Direta.


Os assentamentos em Barras, Capitão de Campos e São Raimundo, localizado em Sigefredo Pacheco, totalizando 96 famílias beneficiadas, também foram inaugurados. 

Em Campo Maior foram investidos cerca de R$ 2 milhões do Crédito Fundiário com a concessão de projetos produtivos através de assentamentos.

No caso do assentamento Barro Vermelho, com o crédito produtivo concedido às famílias, foi possível produzir, além de melancia, feijão e milho que servem para o sustento das famílias assentadas. “Estamos vendo a nossa realmente dá uma reviravolta e para melhor”, disse o assentado Francisco Gonçalo.

Na oportunidade, a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social lançou em Campo Maior o Projeto Sabiá, que beneficia adolescentes carentes, retirando-os da ociosidade através da prática de oficinas de dança, musica e artes cênicas. “É uma atividade nossa que está dando certo”, afirma a secretária Conceição Lima.

Paulo Martins também anunciou que a prefeitura estava beneficiando as famílias do assentamento Barro Vermelho com o projeto produtivo da Pimenta Malagueta, orçado em R$ 100 mil. Através desta iniciativa, moradores irão receber 6 mil mudas para serem cultivadas no local para criar mais uma alternativa de renda. 


Da Editoria de Cidades
cidades@cidadeverde.com

Moradores reivindicam sinalização em trecho urbano

Enquanto a cidade revivia os gloriosos momentos da Batalha do Jenipapo, moradores campomaiorenses se reuniram, na tarde desta terça-feira (13), no trecho urbano da BR-343 reivindicando sinalização no local. O protesto é motivado pela grande quantidade de acidentes fatais que vêm acontecendo na região.
 
Os populares aproveitaram o momento em que Campo Maior recebia muitas autoridades políticas para realizarem a manifestação. 

Policiais rodoviários federais acompanhavam a manifestavam no intuito de controlar o intenso tráfego provocado pela quantidade de pessoas que se deslocavam ao Monumento do Jenipapo.   

Segundo o comerciante, Paulo César, parente de um homem morto no trecho, já existem três pedidos protocolados junto as autoridades competentes. “Os moradores já se reuniram e fizeram um abaixo-assinado. Existem outros dois pedidos junto a Câmara e também na Assembléia mas nenhuma providência foi tomada”, disse. 


Da Editoria de Cidades
cidades@cidadeverde.com
 
 
 
 

Posts anteriores