Cidadeverde.com

A alegria de aprender brincando

Se tem um segmento que ficou seriamente prejudicado neste período de pandemia foi a educação das crianças. Os mais velhos rapidamente se ajustaram e puderam ter sua rotina de aulas auxiliada pelos recursos de tela como computadores, tablets e smartphones que garantiram as aulas não presenciais com certa qualidade. Mas não os mais jovens. Os pequenos da educação infantil ou do primeiro segmento do ensino fundamental, de acordo com os especialistas, dependem de uma boa dose de afeto e um papel de atenção redobrada dos professores.

Como diria o poeta romano Lúcio Sêneca, “a educação exige os maiores cuidados, porque influi sobre toda a vida”, e este nível de cuidados vem sendo preocupação recorrente de professores e das organizações escolares. O ensino híbrido, sobre o qual já comentamos aqui, combina momentos presenciais com momentos de educação a distância, sempre guiados pelo protagonismo dos professores. Mas os mestres estão tendo que lidar com uma série de ferramentas novas, o que inclui um aparato tecnológico de gravar aulas e tentar incluir, o máximo possível, todas as crianças.

Em todas estas reviravoltas têm sido, de grande relevância, a adoção de metodologias ativas, que fazem com que a criança vire o protagonista do ambiente de aprendizagem, com a dificuldade de que nem sempre estão na escola, em razão da pandemia. Ampliando as possibilidades de uso de recursos do tipo mão na massa, para que as crianças, mesmo em casa, possam aprender, têm sido uma forma de inclusão, obviamente com a participação e o engajamento dos pais.

Neste contexto, algumas escolas do Brasil, passaram a contar com o serviço de plataformas como o The Lab Edu, um laboratório virtual que traz atividades no formato de experiências que podem ser feitas no ambiente escolar e que são fortemente indicadas para serem feitas em casa, dado que são atividades de mão na massa, guiadas pelo método científico e fundadas no aprendizado STEAM. O STEAM surgiu nos EUA na década de 1990 e hoje é amplamente difundido na educação de países desenvolvidos como Alemanha, França, Portugal, Singapura, Austrália e Finlândia. O STEAM reúne o aprendizado em Ciências e Matemática usando os recursos da Tecnologia, Engenharia e da Arte.

O mais interessante é que as atividades do THE LAB EDU quando encaixadas na programação pelas professoras e guiadas pelos pais na sua execução reservam para crianças momentos de deleite, pois a atividade de aprender não precisa ser dolorosa, podendo gerar momentos de descontração e brincadeiras. Faz parte da alegria de aprender brincando!

Como diria Aristóteles, um dos pilares da filosofia ocidental, “a educação tem raízes amargas, mas os seus frutos são doces”.

Boa semana para todos (as).