Cidadeverde.com

BNCC do Ensino Médio

A Base Nacional Comum Curricular do Ensino Médio está em fase de coleta de opiniões advindas de audiências públicas. Assim como aconteceu com a BNCC do Ensino Fundamental, foram estabelecidas audiências públicas nas cinco regiões do Brasil. Mas a situação agora está um pouquinho diferente da anterior.

Nas discussões anteriores que geraram o documento homologado pelo Ministro da Educação, pouca polêmica ocorreu e as audiências foram de certo modo esvaziadas. Na discussão da BNCC do Ensino Médio há a participação dos estudantes e suas entidades representativas, e muitos especialistas confrontam a ideia da Base comparando-a com os termos da Lei que aprovou a reforma do Ensino Médio (já até escrevemos sobre este tema. Veja: https://cidadeverde.com/cienciaviva/86223/reforma-do-ensino-medio). Pelo que li, há um descompasso entre as duas propostas que devem atuar de modo coordenado.

Para completar a celeuma, o Coordenador da BNCC, Prof. César Callegari deixou a função e fez severas críticas a este descompasso existente entre os moldes da BNCC e a reforma do Ensino Médio. Na minha opinião, já existia um grande problema com a Reforma do Ensino Médio que está prestes a deixar um número considerável de estudantes de fora de muita coisa (sem acesso a muito conhecimento e oportunidades). Com o descompasso em relação à Base, será muito difícil que estudantes de escolas públicas, especialmente de cidades pequenas, possam ter acesso a um processo de formação mais amplo, precarizando ainda mais o ensino público brasileiro.

Vamos observar as próximas movimentações sobre o tema. Na minha opinião, para fugir do fulcro ideológico atribuído à reforma e ao estabelecimento da Base, o correto seria entregar as discussões de volta para o Ministério da Educação e retomá-las apenas após a eleição de um novo Presidente da República, dando legitimidade às discussões. Entretanto, neste sentido, corre-se um risco muito grande, dependendo da alma que for eleita.

É aquela história: se correr o bicho pega e se ficar o destroço é feio...

Até o próximo post...