Cidadeverde.com

A Tabela Periódica faz 150 anos

Desde anteontem, 01 de fevereiro, a Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU) encarregou sua agência para questões de educação, ciência e cultura – a UNESCO, para capitanear as comemorações pelos 150 anos de criação da Tabela Periódica dos elementos.

Fonte: tabelaperiodica.org.

Considerada o ABC do universo, a Tabela Periódica dos Elementos reúne de forma extremamente precisa a organização, em disposição gráfica, de todos os elementos que constituem a natureza – os átomos – levando em consideração suas principais propriedades como peso atômico e potencial de seus constituintes, os prótons, nêutrons e elétrons.

A Tabela Periódica foi um instrumento construído pela intervenção de vários cientistas, e sua primeira versão data da idade média. Cientistas como Antoine Lavoisier e Lothar Meyer deram suas opiniões de como organizar os átomos conhecidos até as suas respectivas épocas. Mas a organização como conhecemos hoje foi obra do químico russo Dmitri Mendeleev.

A revista Science produziu uma tabela virtual que ajuda você a conhecer a evolução deste fabuloso instrumento utilizado pela química e que possui a capacidade de expressar inclusive as propriedades dos elementos, dada a forma como Mendeleev soube organizá-la. Experimente conhecer aqui.

O Ciência Viva já falou um pouco de Mendeleev quando escrevemos um post comentando sobre a história inspiradora da sua mãe, Maria Mendeleeva. Se quiser rever clique aqui.

Quando Mendeleev organizou a Tabela eram conhecidos apenas 63 elementos. Mas a forma como ele organizou permitiu que novos elementos fossem inseridos. Em novembro de 2016 houve a confirmação de inserção dos quatro elementos mais novos que foram denominados Nihonium (Nh), Moscovio (Mc), Téneso (Ts) e Oganesson (Og), cujos números atômicos são 113, 115, 117 e 118, respectivamente. Os estudos continuam pela inserção de mais dois elementos, cujos números atômicos seriam o 119 e o 120.

Apenas quatro países seguem pesquisas visando descobrir novos elementos: EUA, Rússia, Alemanha e Japão. As pesquisas que envolvem a descoberta de novos elementos são ainda muito dispendiosas. Estima-se que o descoberto até aqui corresponda apenas a 5% do que existe de fato no Universo.

A revista Science produziu um pequeno documentário sobre a Tabela Periódica dos Elementos. Acompanhe abaixo:

A tabela periódica sempre foi um grande desafio para os estudantes. Em algumas escolas os ensinamentos mais sólidos na química passavam pelo mínimo de conhecer as famílias dos elementos, algumas propriedades mais gerais e sem qualquer erro conhecer o nome do elemento a partir do símbolo e vice-versa. Lembrei agora dos muitos amigos que tiveram o privilégio de serem alunos do Padre Florêncio Lecchi, falecido em 2014, do Colégio Diocesano e que era muito exigente na lida cotidiana com a Tabela Periódica.

Padre Florêncio Lecchi. Fonte: Arquidiocese de Teresina.

Talvez, com alguns recursos atuais, o aprendizado da Tabela Periódica seria muito mais facilitado e até lúdico. Abaixo um vídeo que relaciona os elementos à suas respectivas utilidades no mundo moderno, um exemplo dos recursos atuais. Com musiquinha e tudo.

Boa semana para todos(as) e Viva a Tabela Periódica!!!