Cidadeverde.com

Câmeras de monitoramento da Polícia Militar são alvos de vândalos em Floriano

As câmeras do sistema de monitoramento que faz parte de um projeto integrado entre Prefeitura de Floriano, Polícia Militar, Associação Comercial do Sul do Piauí, Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) e Superintendência Municiapal de Trânsito (SUTRAN) viraram alvos de vândalos. Segundo o responsável pela instalação dos equipamentos, pelo menos dez foram danificadas.

O fato chamou a atenção do prefeito Gilberto Júnior (PSB), que lamentou o problema e resolveu tomar providências para evitar que as afrontas aconteçam novamente. “É lamentável ver que os marginais estão tentando se esquivar desse monitoramento e terminam danificando essas câmeras", comentou o socialista.

"Foi formado um comitê que vai acompanhar atentamente o funcionamento dessas câmeras e que vai se reunir uma vez por mês para ver se está havendo algum problema em termos de qualidade técnica das câmeras ou se está havendo qualquer um outro tipo de problema”, completou o prefeito. 

Por causa do problema, representantes da Prefeitura de Floriano, Polícia Militar, Associação Comercial do Sul do Piauí, Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) e Superintendência Municiapal de Trânsito (SUTRAN) se reuniram e decidiram que a coordenação do sistema de monitoramento no Quartel da PM ficará sob a responsabilidade do tenente Alberoni Pereira.

“Ficou definido que vão ser exigidos alguns critérios quando houver, por exemplo, interesse de alguém requisitar imagens do sistema de monitoramento. Essas imagens são públicas e, para requisitá-las, existem requisitos legais, como boletim de ocorrência e uma requisição da Polícia Civil ou da Justiça”, explicou Gilberto Júnior.

Das 34 câmeras, 30 estão funcionando atualmente. Responsável pela instalação dos equipamentos, Valnir Tavares está providenciando a reparação mediante configuração remota ou substituição das que não tem mais conserto. Inconformado, ele fez um apelo. “Pedimos à população para que ajude a preservar esse bem, que é público, e denunciar quando perceber a ação de vândalos”.

Da Editoria de Cidades
cidades@cidadeverde.com