Cidadeverde.com

Curso de Técnicas de Iluminação cênica será ministrado em Floriano

O homem identificado pela Polícia como Francisco de Assis Alves da Silva, foi preso em flagrante após tentar aplicar golpe em quase 800 pessoas em União, município a 56 km de Teresina. Júnior, como é conhecido, fez o anúnncio de 4 mil vagas de emprego em uma empresa de construção Civil em Teresina e através de um telefone de contato divulgado em um site especializado, um morador de União conseguiu contato com Júnior e reuniu uma grande quantidade de trabalhadores interessados nas supostas vagas. Através de um cadastro prévio, cerca de 380 nomes foram enviados até ele como interessados em vagas.

"Ele anunciou as vagas na internet e uma pessoa de União viu a informação e entrou em contato com o número, marcou uma reunião com ele para que as pessoas que tivessem interesse se habilitassem a empresa. Mais de 800 pessoas apareceram no local. Ele chegou de táxi em meio a um grande tumulto e não tinha pago a locação do espaço e nem sequer o taxista. Lá ele estava cobrando R$ 20 de cada pessoa para fazer uma inscrição para concorrer as vagas", relatou a Polícia.

Por conta do tumulto e da movimentação suspeita, a Polícia resolveu checar e foi descoberto que a empresa realmente existe, mas está registrada no nome de Francisco, porém nunca funcionou. "Eles nunca levantaram nenhuma parede. Imediatamente ele foi preso por extelionato, houve um tumulto tentaram linchar mas levamos ele imediatamente pra delegacia de onde ele será levado para a Central de Flagrantes.", relatou a delegada da cidade.

De acordo com a delegada Ana Luiza Marques, esta não é a primeira vez que Francisco é preso por extelionato, ele já responde por liberdade provisória pelo mesmo crime que seria praticado com a multidão na manhã de hoje no município. A Polícia Civil abriu inquérito para investigar o envolvimento de outras pessoas no crime mas acredita que Francisco agia sozinho. O endereço da empresa registrada no nome dele, na verdade é de uma casa humilde na zona Sul de Teresina.

As pessoas que viajaram para ajuda-lo no recadastramento foram liberadas.

Da Editoria de Cidades
cidades@cidadeverde.com