Cidadeverde.com

Palhaço mantém tradição há 50 anos e distribui uma 1,5 tonelada de bombons

  • c86d8ad7-87bf-4a1c-bec0-5d57166316cc.jpg Divulgação
  • ca1.jpg Divulgação
  • ca8.jpg Divulgação
  • ca10.jpg Divulgação

Uma história que começou ainda na infância, quando ele se fantasiava para distribuir bombons. A 'plateia' que era de poucas dezenas, passou para mais 1.500 só na cidade de Floriano, a 244 km de Teresina. Assim, há 56 anos, surgiu o palhaço Carrapeta responsável por 'adoçar' o Dia da Crianças e resgatar as melhores lembranças. 

"Eu faço isso desde o quatro anos de idade e hoje tenho 60 anos. Quando eu era criança, me vestia de palhaço e fazia um 'showzinho' na porta da minha casa para as criancinhas da rua. Na época, distribuía cerca 10 bombons, um saco. Com o tempo, comecei a percorrer comércios, ir atrás de doações em dinheiro, anunciava em rádio para conseguir mais doces", relembra.

O palco do palhaço Carrepeta- que prefere manter a verdadeira identidade- não é em um picadeiro de circo, mas a bordo de uma camionete. Por meio de um alto falante, ele avisa que vai passando e então começam a correr crianças para todos os lados. 

"A gente vai andando e não para...o locutor vai anunciando e vamos distribuindo para as crianças que aparecem. Me sinto realizado e a cada nova edição é um começo. Tem muita dificuldade, por que cada vez mais o apoio privado e público cai. O detalhe é que as doações individuais de pessoas- que ficam sabendo e querem ajudar com pelo menos um saco de bombom- aumentam", desabafa o palhaço cujo nome faz referência a uma música infantil. 

Neste ano, foram arrecadados cerca de 1.600 quilos de bombons, o que corresponde, a mais de uma tonelada e meia. Somente na manhã desta quarta-feira (12), Carrapeta percorreu mais de 20 bairros de Floriano. À tarde, o palhaço faz a boa ação no município de Barão de Grajáu, no Maranhão. 


Graciane Sousa
gracianesousa@cidadeverde.com