Cidadeverde.com

Vídeo: gestante no Piauí dança para acelerar parto e tem bebê em 2 horas

No Piauí, um bebê nasceu literalmente embalado pelo hit "Paradinha" da cantora Anitta. Um vídeo gravado no Hospital Regional Tibério Nunes, na cidade de Floriano-PI, mostra um casal dançando na sala de parto, momentos antes de Shanaya Pereira, 18 anos, dar à luz. Em todo o país, a dança tem sido, cada vez mais, adotada para ajudar mamães na hora de ter o bebê. 

O pequeno Edward Lourenzo nasceu nesta segunda-feira (12) pesando 3,360 kg e medindo 50 cm.O bebê é o primeiro do casal e o trabalho de parto durou apenas 2 horas. 

"A gente deu entrada 2h da madrugada e às 4h nosso filho nasceu de parto normal. Minha esposa estava sentindo muitas dores, mas a dança ajudou muito nas contrações e no parto. Eu já tinha visto mães dançando, mas acho que fui o primeiro pai a entrar na dança. Vi ela sentindo dores e comecei a dançar com ela como forma de incentivá-la", disse o pai Edmundo de Oliveira. 

Foto: Sesapi

Edmundo acredita que a dança foi fundamental para que o parto fosse tão rápido. 

“Foi tudo rápido, seguro pra gente e pro bebê. Eu nunca imaginei e nem ela que seria assim. Mulheres dançando para acelerar o parto, é algo novo e é bom. A gente pensava que (o parto) fosse como antigamente”, relata, emocionado, o pai. 

A coordenadora do Centro de Parto Normal (CPN) do Hospital Regional Tibério Nunes, Luíza Eugênia Mendes, explica que a dança melhora as condições físicas da mulher, as dilatações, ajuda no encaixe e facilita a expulsão do bebê, sem a necessidade de medicamentos.

“Todos os nossos partos estão nos padrões preconizados pela Rede Cegonha, onde as boas práticas obstétricas, em especial os métodos não farmacológicos para alívio da dor, são adotadas aqui, no Hospital de Floriano", explica Luíza Eugênia, que é enfermeira obstetra. Na semana passada, a cantora Ivete Sangalo também entrou na dança momentos antes do parto das herdeiras Helena e Marina.

O CPN foi aberto em julho de 2017 e, de lá para cá, já foram 320 partos realizados, de forma humanizada e acompanhada por multiprofissionais, especialmente enfermeiros obstetras e fisioterapeutas. Bolas, camas PPP (pré e pós-parto), banheiras e outros equipamentos para o estímulo à evolução do parto, como barra fiz, cavalinho e arco de suporte, são utilizados.

Fotos: Sesapi

Quartos do CPN são equipados para garantir conforto para mãe e bebê

 

Graciane Sousa
gracianesousa@cidadeverde.com