Cidadeverde.com

Mãe flagra filho com folhas na boca para não gritar em suposto estupro

A Polícia Civil do Piauí investiga um suposto caso de estupro contra um menino de três anos de idade, em uma chácara na BR-343, na cidade de Floriano, no interior do estado. O suspeito é o padrasto da vítima, um ajudante de pedreiro de 24 anos, que ainda não foi localizado. De acordo com o delegado Marcelo Leal, da Gerência de Polícia do Interior (GPI), a suposta violência sexual foi flagrada pela mãe da criança.

"A mãe relatou que estava lavando roupa, chamou pelo filho e o ex-companheiro respondeu. Ela achou algo estranho, quando foi atrás, encontrou o padrastro e o filho nus. Então começou a gritar e ele fugiu", explica o delegado Marcelo Leal. 

(Foto: Reprodução: JC24horas)

Em um vídeo publicado no site JC24horas, a mãe da criança [que não terá o nome revelado para preservar a imagem da vítima] chorou ao relatar o suposto caso e disse que encontrou o filho com "a boca cheia de folhas".

"Quando eu chego, topo como meu filho nu e ele nu atrás do meu filho e ainda teve a coragem de dizer: desculpas. Eu saí correndo desesperada para a casa da minha irmã. Nunca desconfiei de nada disso dele [...] ele tava nu e ajoelhado atrás do meu filho, encheu a boca do meu filho de folhas pra ele não gritar. Fui para a delegacia e fiz o boletim de ocorrência", relatou a mãe no site JC24horas. 

Ao Cidadeverde.com, a mãe relatou que o suspeito teria levado a criança para uma casa abandonada situada ao lado da residência onde moravam. Os dois mantinham um relacionamento amoroso há três anos e têm um filho de um ano. 

"O meu filho de três anos não morava com a gente, só o de um ano que é filho dele. Não suspeitei nada em relação ao filho pequeno", reitera.

Segundo a mãe, exames comprovaram que o filho possui lesões nas partes íntimas. 

"Ele está muito agitado e vamos levá-lo ao psicólogo. Coração de mãe não se engana. Me deu uma coisa para ir atrás, saber o que estava acontecendo e me deparei com uma cena horrível", desabafa a mãe que relatou também que o suspeito teria retornado ao imóvel na noite deste domingo (13) e arrombado os cadeados. 

Até o momento, o suspeito não foi preso.

 

Graciane Sousa
gracianesousa@cidadeverde.com