Cidadeverde.com
Cidades

TV conta a misteriosa “pegada” e prisão de Santo Antônio no Piauí

Imprimir
Tudo na cidade de Jerumenha exala história. Com seus 250 anos, completados em 2012, o município é uma síntese da história do Piauí: foi fundada pela influência portuguesa pautada na criação do gado e na conflituosa relação com os indígenas. 


A história da cidade começou quando Francisco Dias D’Ávila recebeu sesmarias da Coroa Portuguesa para desenvolver a região através do gado. Entretanto, ele enfrentou problemas, segundo o professor Pedro Alcântara. “Os nativos, em sua maioria, eram índios domesticados, mas tinham a revolta pois com a chegada do branco se sentiram despossuídos da terra”, conta. Ele relata ainda que a extensão do município era muito grande e o branco se deslocava procurando margem de rios. 


Religiosidade

Até 1766, a então freguesia de Jerumenha precisava de uma igreja para finalmente se transformar em vila. Francisco Dias D’Ávila então procurou a Companhia de Jesus e contou com a ajuda dos jesuítas para escolher um local onde construiriam o templo em homenagem a Santo Antonio. Entretanto, a imagem parece não ter gostado muito do local. 


Certa vez a imagem desapareceu do local da capela, a mais de 10 quilômetros do centro de povoamento, para reapareceu no meio da vila. Diz a lenda que o santo foi a pé e a prova seria uma marca de sua pegada em um lajedo onde hoje há uma espécie de gruta que virou um ponto de romaria. 

Durante o período de estiagem – como este que acontece em 2012 – as mulheres de Jerumenham realizam um novenário até o Morro do Pinga, ponto mais alto da cidade, rezando e pedindo chuva. 


No alto do morro há um cruzeiro fixado em 1946 que faz alusão aos que marca os 200 anos da igreja. Na fundação, há uma urna com os habitantes da época. Não se sabe quando vai ser aberta. 


Igreja
A Igreja da cidade de Jerumenha foi construída em 1746 e é a segunda mais antiga do Piauí. 



José Welton, coordenador do Conselho Paroquial, conta que a lenda do santo padroeiro é verdadeira e que o próprio que escolheu o local onde o templo seria construído. 

Todo o prédio possui grossas paredes e uma característica peculiar: o altar-mor e os umbrais das portas são feitos de pedras maciças. Há ainda um segundo altar onde fica o sacrário e o Senhor Morto. 


Imóveis

O Cemitério Santa Rosa de Lima é uma das construções mais antigas do estado e foi construído antes mesmo de a cidade ser vila: sua origem data de 1740. 

Outros imóveis seculares são a residência do coronel Vicente Fonseca, construída no final do século XIX, ainda preservada, e a prisão datada de 1851, com suas grades voltadas para a rua. 


Segundo os moradores há uma passagem da história da cidade na qual o padroeiro Santo Antonio teve de ser colocado no presídio para ser protegido por conflitos de terra que por lei pertenciam a ele. Muita gente tentou destruir a imagem do santo. 

Matérias relacionadas

Gruta e religiosidade marcam a vida dos moradores de Castelo do Piauí

Carlos Lustosa Filho
Imprimir