Cidadeverde.com
Esporte

Sem dinheiro, Portuguesa aluga Canindé para igreja evangélica

Imprimir

Em dificuldades financeiras e na Série C do Brasileirão, a Portuguesa vem buscando maneiras inusitadas de aumentar suas receitas e pagar os salários de seus funcionários. Depois de firmar parceria com um grupo de padarias paulistanas (cada uma delas estampou a marca na camisa de um dos atletas), a diretoria decidiu alugar o ginásio do Canindé, anexo ao estádio, para uma igreja evangélica por dez anos. A medida desagradou alguns cartolas e há uma cláusula no contrato que permite interromper o negócio a qualquer momento sem o pagamento de multa.

A direção não confirma os valores do aluguel para a igreja Renascer, que batizou o ginásio de "Renascer Arena". A renda servirá para ajudar nas despesas do clube, inclusive no pagamento dos funcionários. Recentemente, o atraso nos vencimentos provocou uma greve no clube. Majoritariamente católicos, os conselheiros da Portuguesa não digeriram bem o acordo por envolver uma igreja de outra linha religiosa.

Com a possibilidade de derrubar o negócio sem pagamento de multa, a diretoria segue em negociação com empreendimentos imobiliários para o uso do ginásio, que teria todo o seu espaço reformulado. Os dirigentes têm algumas propostas: apesar de não revelar os possíveis investidores, o clube tem a expectativa de que algum novo negócio seja fechado até o final do ano.

Dentro de campo, a equipe - rebaixada em 2013 depois de uma confusão no STJD - ocupa o quarto lugar do Grupo B, dentro da zona de classificação para a próxima fase da Série C. Na próxima segunda-feira, a Lusa enfrentará outra tradicional equipe que vive uma crise sem precedentes: o Guarani, no estádio Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas, a partir das 20h30 (de Brasília).

Fonte: Veja

Imprimir