Cidadeverde.com
Política

Procuradoria denuncia piauiense e mais 15 por venda ilegal de Medidas Provisórias

Imprimir
  • halysson05.jpg Foto: Pedro França/Agência Senado
  • halysson04.jpg Foto: Pedro França/Agência Senado
  • halysson03.jpg Foto: Pedro França/Agência Senado
  • halysson02.jpg Foto: Pedro França/Agência Senado
  • halysson01.jpg Foto: Pedro França/Agência Senado

O Ministério Público Federal (MPF) denunciou à Justiça as primeiras 16 pessoas suspeitas de crimes investigados pela Operação Zelotes, entre eles o ex-diretor da Fundação Cultural do Piauí, Halysson Carvalho. 

A Operação Zelotes investiga a manipulação de julgamentos do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf), ligado ao Ministério da Fazenda. Os suspeitos foram denunciados pelos crimes de extorsão, corrupção, associação criminosa e lavagem de dinheiro. 

Halysson Carvalho foi denunciado por suposta prática de extorsão. Ele é apontado pelas investigações como um dos nomes destacados para tentar extorquir um empresário do grupo Caoa, após o mesmo ter se recusado a pagar pela aprovação de uma Medida Provisória. 

Em documento divulgado pelo site do jornal O Estado de São Paulo nesta segunda-feira (30), cita supostas ameaças promovidas pelo ex-gestor piauiense, inclusive voltadas para a família de um dos envolvidos. O valor cobrado era de 1,5 milhão de dólares. 

Veja a íntegra da denúncia

A denúncia cita que Halysson Carvalho foi reconhecido na prisão por Mauro Marcondes, um dos empresários que teriam sido alvo da chantagem.

Na semana passada, a relatora da CPI do CARF, senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), pediu o indicamento de 28 pessoas, mas deixou o ex-gestor piauiense de fora da lista. Halysson Carvalho chegou a depor no Senado e negou ter envolvimento com os crimes investigados pela Operação Zelotes. Segundo ele, os e-mails com as ameaças investigadas não foram enviados de uma conta de correio eletrônico sua. 

O MPF pediu que os investigados, exceto Halysson Carvalho e outros três suspeitos, reparem os cofres públicos em R$ 879,5 milhões. 

Fábio Lima
[email protected]

Imprimir