Cidadeverde.com
Geral

Ataques à educação, troca de farpas e confronto de propostas marcam debate

Imprimir

Atualizada às 15h02

O debate promovido pela TV Cidade Verde nesta terça-feira entre os nomes que disputam a Prefeitura de Teresina (23) foi marcado por um bombardeio de críticas e confronto de propostas com o candidato à reeleição Firmino Filho [PSDB] e ao jornalista Amadeu Campos [PTB]. A maioria dos ataques foi com perguntas relacionadas aos projetos na educação e mobilidade urbana.

O debate reuniu os candidatos Firmino Filho [PSDB], Amadeu Campos [PTB], Doutor Pessoa [PSD], Everton Diego [PSol], Luciane Santos [PSTU], Lourdes Melo [PCO] e QuemQuem [PTN]. Em muitos momentos, eles fizeram ataques, principalmente a atual gestão da cidade as ações desenvolvidas na cidade.

Mais ferozes nos ataques, Lourdes Melo, QuemQuem e Luciane Santos citaram problemas na educação e na mobilidade urbana no que eles consideram uma “integração que não existe” e o fechamento de creches na capital.

Nos últimos momentos do debate, os candidatos ao cargo do executivo municipal fizeram perguntas entre si, de sua escolha, sobre temas livres e variados. Cada candidato teve dois minutos para a resposta. Eles foram definidos através de sorteio.

Iniciando as perguntas, a candidata Lourdes Melo [PCO] manteve o tom agressivo e atacou o candidato Firmino Filho, acusando-o de fechar creches e retirar ambulâncias de atendimento de urgência de hospitais. “Tanta maldade, você quer destruir a saúde?”, questionou.


O prefeito Firmino Filho desviou relembrando mais uma vez as obras feitas pela prefeitura na sua gestão, como a construção de escolas, creches e as 21 unidades de educação que estão sendo feitas na cidade. “É um compromisso do futuro do prefeito amigo da criança que continua”, destacou.

Mais ofensiva, Lourdes Melo usou o tempo da réplica para reclamar mais uma vez do fechamento das creches, alegando que o atual prefeito teria destruído mais de 3 mil casas [através do Projeto Lagoas do Norte], chamando-o de golpista: “O senhor é representante do golpista [Michel] Temer no Piauí”, disse.

O candidato QuemQuem usou o tempo de pergunta para falar de política e criticou a composição da chapa para a disputa do candidato Firmino Filho frisando a formação de um blocão.

Firmino respondeu alegando que composição política diz pouca coisa na gestão da cidade defendeu a utilização de um blocão para a disputa, o que define como uma boa estrutura política para suporte, principalmente na câmara. “Sempre fizemos uma administração técnica. Como um prefeito amigo da criança indicaria um político para a pasta?”, questionou.

Doutor Pessoa, o terceiro a fazer a pergunta escolheu o candidato Amadeu Campos, perguntando-lhe sobre os projetos para educação. Amadeu afirmou também criticou o atual prefeito de Teresina, que, segundo ele, tem o título de “Prefeito Amigo da Criança” numa cidade que teria mais de 4 mil pequeninos de 0 a 3 anos fora das creches. Com números, listou algumas estatísticas que mostram a diminuição da quantidade de crianças em creches. Ele falou ainda de um projeto de gestão no qual pretende fazer um acompanhamento às mães com os filhos de 0 aos 5 anos. “Vamos fazer o programa Mãe Teresinense, que vai acompanhar a mãe, com universalização dos serviços para a mulher”, destacou.

Na réplica, Pessoa destacou algumas ações do seu plano de governo, no qual promete a implantação da educação em tempo integral, com melhoria estrutural nas escolas que segundo ele “falta cultura, arte, esporte, bibliotecas e espaço para professor”. O mesmo projeto foi defendido por Amadeu na tréplica.

Firmino Filho também direcionou sua pergunta a Amadeu Campos, questionando-o sobre propostas para a geração e emprego e renda. Este respondeu em tom de provocação, destacando que o prefeito estaria há 12 anos à frente da chefia do executivo e não teria desenvolvido ações, principalmente na zona rural da cidade, que poderia receber uma injeção de investimentos através da agricultura familiar e estímulo à produção. “Temos que usar os nossos produtos através da utilização do dinheiro da merenda escolar, tem que ser empregado com produtos feitos em Teresina. Chama os produtores e diz o dinheiro e esse aqui para comprar os produtos deles”, destacou.

O atual prefeito lembrou que as ações propostas pelo candidato Amadeu já estão em execução. “Isso já é feito. A prefeitura tem obrigação legal de comprar. Temos 14 campos agrícolas na zona rural e estamos produzindo de uma forma organizada pra fortalecer a agricultura familiar”, frisou.

Em tom agressivo, Luciane Santos usou o tempo para criticar o título de Prefeito amigo da Criança de Firmino Filho e fez uma denúncia de que professoras estariam sendo obrigadas a repor licença maternidade.

Firmino alegou que a denúncia será levada para apuração na Secretaria de Educação e destacou as ações de planejamento da cidade com a Agenda 2030, além dos investimentos com o Polo empresarial Norte, o que ele considera o “maior investimento industrial dos últimos tempos”.  “São ações para gerar empregos, principalmente para a juventude”, disse.

Na tréplica, Luciane cobrou políticas públicas para as mulheres da classe trabalhadora e reclamou da situação de professoras na cidade, que estariam sofrendo assédio moral. “Queríamos fazer um chamado para construir greve geral pra derrubar esses ditadores que estão aí, para derrubar os que só pensam em seus benefícios”, bradou.

Éverton Diego direcionou a pergunta ao Doutor Pessoa cobrando suas propostas para o transporte público. Em resposta, ele criticou a atual gestão na cidade com as ações de acessibilidade, ciclovias e a integração do transporte público. “Faltou acessibilidade e não existe qualidade e quantidade, mas indústria da multa existe: fechar retorno e a indústria da multa sim e nada foi feito”, destacou.

Everton aproveitou para uma cobrança direta ao candidato Pessoa, criticando também a relação da Prefeitura com o sindicato dos transportes, destacando suas propostas que incluem ampliação do passe livre. “Você já foi deputado e vereador e nunca fez nada sobre isso”, desafiou.

Amadeu focou o candidato Firmino Filho para a sua pergunta, questionando-o sobre as contratações na Prefeitura de Teresina cobrando-lhe a quantidade de servidores comissionados, terceirizados e serviços prestados. Firmino aproveitou o tempo livre para responder as críticas anteriores, destacando a aprovação do plano de transportes e que várias ações foram desenvolvidas na cidade diante do aumento da frota de veículos. Além disso, ele destacou a realização de concurso público. “Respeitamos o concurso público e nunca se chamaram tanto com concurso como agora”, acrescentou.

 

 

Diego Iglesias
redacao@cidadeverde.com

 

Imprimir