Cidadeverde.com
Últimas

Elize Matsunaga chega ao fórum para julgamento

Imprimir

Atualizada às 11h50

O julgamento de Elize Matsunaga começa nesta segunda-feira (28) e poderá durar até cinco dias, segundo previsão dos juristas. Elize é acusada de matar o marido, empresário Marcos kitano Matsunaga com um tiro na cabeça e depois esquartejar o corpo, no apartamento do casal. A acusação é de homicídio doloso triplamente qualificado, pois o Ministério Público considera que foi por motivo torpe, através de meio cruel e com recursos que dificultaram a defesa da vítima. 

O crime aconteceu em 19 de maio de 2012. O corpo do marido foi partido em sete partes e tirado do apartamento em uma mala, enquanto a filha do casal, de apenas um ano, dormia sozinha em seu quarto, no andar de cima do apartamento. O julgamento está previsto para começar às 9h30 (horário de verão), no Fórim da Barra Funda, zona Oeste de São Paulo. 

Elize está presa na penitenciária de Tremembé, no Vale do Paraíba. No mesmo presídio estão Suzane von Richthofen, condenada pela morte dos pais, em 2002, e Ana Carolina Jatobá, condenada pela morte da enteada, a menina Isabela Nardoni, em 2008.

Para o MPE, Elize matou o marido para ficar com o dinheiro de um seguro de vida no valor de R$ 600 mil. O promotor José Carlos Cosenzo ainda suspeita que ela tenha tido a ajuda de outra pessoa - a Polícia Civil ainda investiga essa hipótese.

A defesa de Elize será feita pelos advogados Luciano Santoro e Roselle Soglio. No entendimento deles, a ré matou Marcos para se defender das agressões do empresário, se desesperou e cometeu o esquartejamento. Naquela ocasião, ela havia contratado um detetive particular que revelou que o marido a traía com uma prostituta.

Elize deixou o presídio às 7h18 e chegoi ao Fórum da Barra Funda às 8h15.

A sentença do júri ser definida só na sexta-feira. Elize vai dormir na carceragem do Fórum da Barra Funda. Os jurados terão que dormir em hotel ou no fórum, ficando a critério do juiz como isto se dará. Os jurados também não podem falar entre si sobre o caso em julgamento e sempre serão acompanhados por oficiais de justiça.

A lista de testemunhas do caso Matsunaga inclui babás, detetive, peritos, policiais, reverendo, médicos legistas, empregada e parentes do casal Marcos e Elize. Ao todo, 21 pessoas foram indicadas pela acusação e defesa para falarem a partir desta segunda-feira em São Paulo no julgamento da viúva do sócio diretor da empresa de alimentos Yoki.

Os depoimentos das testemunhas, o interrogatório da ré e os debates entre Ministério Público Estadual (MPE) e advogados da acusada começarão a ser realizados no plenário 10 do Fórum da Barra Funda.

Atualizada às 11h50 (horário local)

Enquanto os jurados leram o resumo do caso, Elize chorou e limpo as lágrimas sentada no banco dos réus. A defesa argumentará que houve discussão antes da morte, que o esquartejamento só foi feito após a morte da vítima e que a vítima poderia ter se defendido do tiro.

A primeira testemunha arrolada pela acusação começou a depor. Trata-se de Amonir dos Santos, filha da babá que trabalhava na casa de Elize e Marcos. Amonir cobria as folgas da mãe e trabalhava esporadicamente na casa. Ela é a primeira a ser ouvida porque tem uma filha pequena.

 

 

 

Fonte: G1

Imprimir