Cidadeverde.com
Vida Saudável

Quer engordar? Veja dicas de como fazer isso, mas de forma saudável

Imprimir

Na luta pelo peso ideal, o adversário é sempre o mesmo: a balança. Mas, se para algumas pessoas a vitória significa eliminar quilos indesejados, para outras, o resultado almejado é ver os dígitos aumentarem. O ganho de peso, assim como a perda, está condicionado à diferença entre a ingestão e o gasto calórico, o que explica por que as dietas de quem pratica atividade física assiduamente e de quem tem hábitos sedentários precisam ser bem diferentes. E o que faz com que uma pessoa tenha dificuldade para engordar enquanto outras lutam diariamente para manter suas medidas? O nutricionista Leo Acro aponta alguns fatores. "Existem pacientes que têm em seu histórico familiar o corpo mais magro - isso não significa abaixo do peso -, casos de desequilíbrio hormonal, falta de apetite e outros em que o trabalho é muito desgastante, não equilibrando a balança entre gasto e consumo energético". É importante lembrar que ganhar peso não precisa significar, necessariamente, adquirir aquela barriguinha saliente ou elevar os níveis de colesterol. 

 

Não pense que você pode sair por aí comendo de tudo!
Engordar implica em ingerir mais calorias, mas ninguém quer que venha junto o combo "celulite, gordura e doenças". Não é porque você pode comer mais que você deve comer o que vir pela frente. Facilmente absorvidos pelo organismo, doces costumam conter gordura hidrogenada em sua composição, o que, em excesso, faz mal para a saúde. "A ingestão regular desses alimentos pode levar a risco de desenvolver algumas patologias como diabetes, hipertensão, alteração dos marcadores de colesterol e triglicerídeos, alterações nos marcadores renais ou hepáticos (fígado) e obesidade", alerta Leo Acro.

 

Coma mais vezes em menor quantidade
A mesma regra básica que serve para o objetivo do emagrecimento vale para quem vai seguir uma dieta hipercalórica: não pular refeições e tentar se alimentar de três em três horas. "A primeira coisa que considero importante na mudança do hábito alimentar é organizar seus horários. Essa é a peça chave de qualquer dieta", garante a nutricionista Cintia Azeredo. Uma estratégia para impulsionar a ingestão de alimentos é elevar gradativamente a quantidade das refeições para que a capacidade do estômago seja aumentada. "Ao fracionar mais refeições com menores volumes e com aporte calórico maior, garantimos que, caso o corpo esteja com um metabolismo acelerado, não degrade massa magra, conservando, assim, a massa muscular", explica Leo Acro, que recomenda entre sete e nove refeições por dia, dependendo de cada indivíduo. 


Pense sempre em termos de qualidade
"Quando pesamos em ganhar peso, devemos pensar em qualidade. Não consumir produtos industrializados, fast food, gorduras de má qualidade, muito carboidrato refinado. Quanto mais natural for a alimentação melhor para o seu organismo, mais nutrientes ele vai ter para trabalhar melhor", garante a nutricionista Bianca Genoese, da clínica Take Care. Prefira os alimentos integrais, pois são mais nutritivos e, em relação ao modo de preparo, priorize alimentos grelhados, cozidos ou assados no lugar das frituras. 


Faça pratos bonitos, coloridos e atraentes
O primeiro passo para comer mais é abrir o apetite. E, é claro, que tanto o ambiente onde você faz as refeições - deve ser o mais tranquilo possível para não ter pressa alguma - quanto a aparência da comida exercem uma forte influência sobre a vontade de comer. Por isso, procure fazer pratos bonitos, coloridos e atraentes. Em seguida, comece a incluir alimentos mais saudáveis, ricos em vitaminas, minerais e fibras, como as frutas, legumes, verduras, leguminosas, oleaginosas e cereais integrais. 


Vá com calma na suplementação alimentar
Os suplementos alimentares podem ser bons aliados no ganho de peso para quem não consegue suprir a quantia de calorias adequada apenas com a dieta, mas seu consumo deve ser sempre indicado por profissionais. Manter o equilíbrio na ingestão de nutrientes é fundamental e, segundo a nutricionista Camila Monteiro, da clínica Dermagrupo, o excesso de algumas substâncias pode ser prejudicial. "O consumo excessivo de proteínas por meio de suplementos leva o organismo a usar este nutriente como fonte energética, se não houver a quantidade necessária de carboidratos na dieta, gerando toxinas que sobrecarregam os rins e causam perda óssea."


Fonte: GNT

Imprimir