Cidadeverde.com
Geral

UESPI está dentro da média nacional afirma MEC

Imprimir
Para agilizar e tornar mais prático o processo de avaliação da qualidade dos cursos superiores, o Ministério da Educação e Cultura (MEC) criou o Índice Geral de Cursos da Instituição (IGC). Através de valores contínuos (que variam de 0 a 500) e faixas (de 1 a 5), o novo índice faz uma síntese da qualidade dos cursos de Graduação, Mestrado e Doutorado oferecidos por cada instituição.
 
O IGC é calculado a partir da média dos Conceitos Preliminares dos Cursos da instituição (CPC, para as graduações) e do conceito fixado pelo Capes (para as pós-graduações).
 
Na tabela do IGC, divulgada na última segunda-feira (08), a Universidade Estadual do Piauí apareceu com faixa 3, mesmo valor alcançado pela Universidade Federal do Piauí (UFPI), pelas Universidades Estaduais do Maranhão (UEMA), do Ceará (UECE) e da Paraíba (UEPB), bem como por muitas particulares, como é o caso da Pontifícia Universidade Católica de Campinas ? PUC.
 
Além dos critérios já citados, a avaliação do IGC leva em conta os resultados da Avaliação de Desempenho dos Estudantes (ENADE) e aspectos como infra-estrutura e instalações, recursos didático-pedagógicos e corpo docente.

A principal aplicação do índice é orientar as visitas das comissões de especialistas do MEC às instituições de ensino superior. Cerca de 78% das 1.837 IES cadastradas e participantes das avaliações do MEC tiveram o IGC calculado pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira). O IGC será divulgado anualmente pelo MEC, sempre em momento imediatamente posterior à divulgação dos resultados do ENADE e do CPC.

A pró-reitora de Ensino de Graduação, professora Célia Leal, enfatizou que a Uespi teve um desempenho igual ou superior ao de universidades bem mais antigas. ?Por exemplo, a Universidade Estadual da Paraíba - UEPB, que tem 40 anos, contra 15 da Uespi, como universidade multicampi. Os números do IGC mostram que a política da Administração Superior da Uespi encontra-se no caminho certo, quando prioriza as áreas de ensino, pesquisa, extensão e infra-estrutura?, informou.

A pró-reitora reforçou, também, os investimentos previstos para serem implementados pela atual gestão da Uespi até 2009. Segundo ela, a Instituição dispõe, hoje, de R$ 22 milhões para investimentos, sendo que 72 projetos com essas melhorias já estão em elaboração pelo Departamento de Engenharia e Arquitetura.
 
?Dos recursos, R$ 10 milhões são do Tesouro Federal e R$ 12 milhões, do Governo do Estado. Somente na parte de computadores vamos adquirir 623 máquinas e, também, 25 mil exemplares de livros?, informou a pró-reitora.

 

Redação
[email protected]

 


 

Tags:
Imprimir