Cidadeverde.com
Geral

"Estamos destruídos e desolados", diz família de idoso morto no bairro Bela Vista

Imprimir

Fotos: Graciane Sousa/ Cidadeverde.com

O sentimento de tristeza toma conta da viúva e dos cinco filhos do aposentado assassinado na porta de casa no bairro Bela Vista I, zona Sul de Teresina. Severino Lima da Silva, 77 anos, foi morto na porta de casa no início da noite dessa segunda-feira (18).  

Muito emocionada, a víuva de Severino, Mariana Lima, presenciou a morte do marido e diz que perdeu um companheiro de vida "sem saber o motivo". 

"Não foi assalto, pois não levaram nada. Toda tarde a gente sentava na porta. Ele era um marido e pai maravilhoso. Tenho muitas lembranças boas. Meu companheiro se foi e a sorte é que tenho meus filhos", disse a viúva. 

Funcionário aposentado da Cepisa, familiares relembram que Severino Lima era apaixonado por música e atualmente tocava na banda da Congregação da Assembleia de Deus. O corpo será sepultado juntamente com sua flauta e uma Bíblia. O instrumento musical estava com ele no momento da ação dos bandidos e ainda está manchado de sangue. 

"Estamos destruídos e desolados. Meu pai era a pessoa mais incrível, dava atenção a todo mundo. Ele sempre tocou trompete e agora tocava flauta. Ele amava muito tocar e isso se tornou um símbolo. Vamos sepultá-lo com a flauta e o Novo Testamento. Ele fazia a distribuição de Bíblias em repartições públicas, escolas..... adorava muito essas duas coisas", desabafou Valdete Lima, uma das filhas.  

A família está revoltada com o assassinato de Severino e pede que a Justiça seja feita. Querido por muitos moradores do Bela Vista, o idoso sentava diariamente na porta de casa com a família.

"Meu pai se levantou e pagou com a vida. O vagabundo deu um tiro no coração. Infelizmente, não pude colocar os olhos em quem fez isso com meu pai. Hoje só tem lei para bandido. Meu pai morreu e está preso para sempre. Já o bandido está solto para cometer outros crimes. Isso é muito triste. Vamos ver o que a Justiça vai fazer. A gente tem que esperar em Deus. Que Ele nos conforte e a justiça seja feita", lamentou o taxista Valderedo Lima, filho do aposentado.

Kézia Alencar também lamenta a morte e diz que não consegue esquecer a cena do avô desfalecendo. 

"Estava me preparando para sair ir a faculdade quando ouvi um barulho muito forte e alto como se fosse um foguete. Corri para a porta e vi meu avô caindo, cambaleando. Os vizinhos chamaram o Samu, mas ele não resistiu. Ele era um exemplo de avô e tinha sempre uma palavra de carinho. Esperamos Justiça. Não podiam ter feito isso com ele", lamenta a universitária que foi morava com os avós. 

O velório reúne amigos e familiares do aposentado e acontece até às 15h30min na Congregação da Assembleia de Deus, situada na avenida principal do Bela Vista I.  De lá, o corpo segue  para sepultamento no cemitério Jardim da Ressurreição, na zona Sudeste de Teresina.

 

Flash Graciane Sousa
gracianesousa@cidadeverde.com 

Imprimir