Cidadeverde.com
Viver Bem

Mulheres heterossexuais são as que menos têm orgasmos, diz estudo

Imprimir

Será que a orientação sexual da mulher pode interferir na quantidade de orgasmos que ela tem? De acordo com um grande estudo feito em conjunto pela Universidade de Indiana, Universidade Chapman e Universidade de Claremont, todas nos Estados Unidos, isso é possível sim. Os cientistas descobriram que mulheres heterossexuais têm menos orgasmos do que os homens e do que lésbicas ou bissexuais.

A pesquisa reuniu dados de 52,6 mil americanos, correlacionando o tempo entre um orgasmo e outro com o gênero do participante e sua orientação sexual. De acordo com o estudo, os grupos que mais têm orgasmos são:

95% dos homens heterossexuais

89% dos homens gays

88% dos homens bissexuais

86% das mulheres lésbicas

66% das mulheres bissexuais

65% das mulheres heterossexuais

O estudo também detectou a associação entre a frequência do sexo oral e um número mais alto de orgasmos em mulheres heterossexuais, lésbicas e bissexuais, homens gays e homens bissexuais. Já nos homens heterossexuais não foi observada essa característica. Entre os comportamentos ligados ao aumento da quantidade de orgasmos, estão:

- Pedir claramente o que quer na cama para o parceiro

- Elogiar a performance sexual do parceiro

- Trocar provocações sexuais com o parceiro por telefone/e-mail/mensagens

- Usar lingerie sexy

- Estar aberto a tentar diferentes posições sexuais

- Realizar estimulação anal

- Estar disposto a realizar e conversar sobre fantasias sexuais

- Estimular o parceiro com palavras sensuais e expressões durante o sexo

 

Os autores do estudo destacam que, por causa do estigma gerado acerca da sexualidade feminina, as mulheres tenham até hoje muitas dificuldades para expressar seus desejos e prazeres, o que influencia diretamente na quantidade de orgasmos que elas têm em relações heterossexuais.

 

Fonte: Minha Vida

Imprimir