Cidadeverde.com
Viver Bem

Saiba como funciona a prevenção combinada para combater o vírus HIV

Imprimir

Segundo dados do Ministério da Saúde, 830 mil pessoas vivem com HIV no Brasil. Apesar de fundamental, a camisinha não é a única forma de se prevenir contra o vírus. A prevenção combinada reúne diversas atitudes fundamentais para evitar o contágio.


Diagnóstico
O primeiro passo é ter certeza do seu diagnóstico. Se você estiver na dúvida se foi exposto ao vírus HIV, faça o teste. Essa informação é essencial para aumentar a expectativa de vida do soropositivo. Além disso, o tratamento especializado traz mais qualidade de vida ao paciente. O diagnóstico da infecção pelo vírus é feito através de exame de sangue. O teste é rápido, seguro e sigiloso. Qualquer pessoa pode fazer o exame gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS), nas unidades da rede pública de saúde e nos Centros de Testagem e Aconselhamento (CTA).

 

Mãe e filho
O diagnóstico traz outros benefícios além da melhora da qualidade e expectativa de vida da pessoa que foi exposta ao vírus: as mães soropositivas, por exemplo, têm 99% de chance de terem filhos sem o HIV se seguirem o tratamento recomendado pelos médicos durante o pré-natal, no parto e no pós-parto.


Medicamentos
O uso de medicamentos antirretrovirais é também uma forma de prevenção contra o HIV. Essa medida está dentro da estratégia de prevenção combinada e recebe o nome de PEP (sigla em inglês para Profilaxia Pós-Exposição). A administração da medicação deve ser feita em até 72 horas após o contato com o vírus. O tratamento dura 28 dias no total. Os medicamentos antirretrovirais impedem a multiplicação do HIV dentro das células, fazendo com que o vírus fique inativo. As autoridades de saúde lembram que a PEP é indicada para casos emergenciais e não deve ser usada repetidamente.

 

Fonte: Minha Vida

Imprimir