Cidadeverde.com
Geral

Família de vítima baleada na Banda Bandida vai processar cabo do Exército

Imprimir

A família de Paulo Roberto Rodrigues irá processar o cabo do Exército, Wanderson Fonseca, que disparou contra Paulo durante uma festa pré-carnavalesca no Centro de Teresina, no dia 14 de janeiro deste ano. No momento dos disparos, centenas de pessoas particapavam da Banda Bandida. O caso ocorrer por voltadas 23h30.  

“Nós vamos sim entrar com uma ação para reparar o dano causado, que não foi pouco. Paulo ainda está hospitalizado, sem previsão de alta. Wanderson, pelo próprio depoimento, disse que houve uma pequena confusão, e que não foi com ele. Na verdade, ele tomou as dores de um colega e efetuou esses disparos, que ele próprio fala no depoimento”, contou o advogado da família de Paulo, Joselito Oliveira. 

O inquérito policial deverá ser concluído até a próxima terça-feira (23). O militar pode ser indiciado por tentativa de homicídio, lesão corporal grave e disparos em via pública. 

Wanderson apresentou documentos que comprovam a pose da arma, mas não o  porte da pistola, ou seja, não pode andar com ela. 

O cabo e o seu amigo Francisco Felipe cumprem prisão preventiva. Wanderson no 2º BEC, onde é lotado, e Felipe em presídio comum. 

Além de Paulo, os disparos atingiram duas pessoas, que não ficaram gravemente feridas e já receberam alta médica.

O 2º BEC instaurou processo administrativo para apurar a conduta do militar. O cabo poderá, dentre as consequências, perder a farda. 


Paulo Roberto foi atingido com cinco tiros (foto:arquivo pessoal)

Carlienne Carpaso
carliene@cidadeverde.com 

Imprimir