Cidadeverde.com
Geral

Vítima de tiros na Banda Bandida conta como aconteceu a confusão

Imprimir

 

O folião Paulo Roberto Rodrigues da Costa, 35 anos, um dos baleados em uma prévia carnavalesca em Teresina, gravou um vídeo em que conta detalhes do caso. Ele conta que foi provocado pelos suspeitos e, antes do tiroteio, chegou a agredir um deles. 

"Esse cidadão [que nem posso chamar de cidadão] já chegou na festa bagunçando na entrada [soube disso pelos seguranças] e ficou ali perto da gente arrudiando, olhando para minha esposa. Perguntei se ela conhecia eles. Ela respondeu que não. Eles ficaram me encarando. Um minuto depois, ele veio até mim já para caçar conversa. Perguntou  por que eu estava olhando para ele. Eu disse: rapaz, nem te conheço. Aí, ele me ameaçou e dei um murro nele. Na hora que me afastei, só ouvi os disparos. O primeiro tiro pegou em minha perna e caí no chão", contou Paulo Roberto. 

A vítima diz ainda que, após desferir o soco, foi atingido com um tiro na perna e mesmo caído ao chão recebeu mais disparos de arma de fogo, além de ser agredido fisicamente. 

"O soldado deu a arma pro outro e ainda deu mais tiro em mim e ainda ficou pisando na minha cabeça", complementa Paulo Roberto que permanece internado. Em decorrência dos tiros, ele foi submetido a duas cirurgias e perdeu parte do intestino. 

Os atiradores foram apontados como o cabo do 2º Batalhão de Engenharia de Construção (2º BEC), Wanderson Lima Fonseca, e o amigo dele Francisco Felipe Marques. O segundo foi preso em flagrante. Já o militar do Exército é considerado foragido

 

Graciane Sousa
[email protected]

Imprimir