Cidadeverde.com
Geral

Teresina registrou 284 acidentes com ônibus em 2017, revela Ciptran

Imprimir

Dados da Companhia Independente do Policiamento de Trânsito (Ciptran) revelam que em 2017 foram registrados 284 acidentes de trânsito envolvendo ônibus somente em Teresina. 

Deste total, 83 tiveram pessoas feridas ou mortas e 201 não registraram vítimas. 

Os dados foram coletados pela TV Cidade Verde após os recentes registros de acidentes com ônibus ocorridos na capital. Nos últimos 15 dias foram registrados dois somente na Avenida Frei Serafim, no Centro de Teresina. Um deles ocorreu hoje (24), onde uma mulher identificada como Cristiane da Paz Costa, 33 anos, foi atropelada.

A tenente Daurivanda Martins, da Ciptran, ressalta que os acidentes envolvendo ônibus são na maioria atropelamentos de pedestres e colisões com carros pequenos. Ela destaca, ainda, que a estatística é referente aos veículos ônibus, tanto os coletivos como os particulares. 

Grande parte dos acidentes aconteceu nas avenidas mais movimentadas da capital, como a Miguel Rosa, Barão de Castelo Branco, Gil Martins e Frei Serafim. 

“Boa parte ocorreram em horários de pico, como o início da tarde e fim da tarde, quando o fluxo de pedestres e veículos é maior”, informa a tenente. 
A tenente pede que os pedestres redobrem atenção ao atravessar as vias para evitarem atropelamentos. 

“Quero alertar aos pedestres que procurem sempre atravessar na faixa de pedestre. E lembrem-se que entre faixa de pedestre e sinais de trânsito, quem tem prioridade é o sinal. Então prefira trafegar pelas calçadas e quando for atravessar uma via jamais atravessar atrás de algum veículo, principalmente de ônibus. Fique visível para que os motoristas vejam que você está fazendo a travessia”, orienta.  

Pedestres relatam medo 


Pessoas que transitam diariamente na Avenida Frei Serafim afirmam que possuem medo de serem atropeladas na via. Elas afirmam que condutores não respeitam os pedestres e defendem punição a eles.

“Falta uma reciclagem para esses motoristas. Eles não respeitam a faixa de pedestre e a gente corre muito risco”, afirma Raimunda Teixeira, 55 anos.

A aposentada Maria de Lourdes, 67 anos, mora na cidade de Floriano e conta que toda vez que está Teresina sente receio ao atravessar a Avenida Frei Serafim. “Às vezes os carros não param e, se a gente não correr, é atropelado”, disse.  

 

 

 

Izabella Pimentel
[email protected]

Imprimir