Cidadeverde.com
Esporte

Diego treina na Colômbia e pode reforçar o Flamengo contra o Santa Fe na quarta

Imprimir

O Flamengo pode ter um importante reforço para a decisiva partida contra o Independiente Santa Fe, nesta quarta-feira, em Bogotá, na Colômbia, pela quarta rodada do Grupo 4 da Copa Libertadores.

Foto: Gilvan de Souza/Flamengo

O meia Diego, recuperado de uma lesão muscular na coxa direita, treinou normalmente nesta segunda, já na capital colombiana, e pode ser escalado pelo técnico interino Maurício Barbieri.

Poucas horas depois de desembarcar em Bogotá, os jogadores do Flamengo já foram treinar no El Campincito, campo anexo ao estádio El Campín, local da partida desta quarta-feira.

Diego faz tratamento intensivo desde a última quinta, após sentir a lesão no jogo contra o Independiente Santa Fe, um dia antes, no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro – empate por 1 a 1.

Com cinco pontos, o Flamengo é o líder do seu grupo na Libertadores, levando a melhor sobre o River Plate no critério de desempate. No entanto, uma derrota na Colômbia pode complicar a situação na luta por uma vaga nas oitavas de final, pois o time colombiano é o terceiro colocado, com três pontos. 

O clube rubro-Negro receberá ainda o Emelec, no Rio de Janeiro, e encerra a primeira fase diante do River Plate, na Argentina.

PROTESTO – Antes da viagem à Colômbia, a delegação do Flamengo teve que suportar um protesto de seis torcedores no Aeroporto Internacional do Galeão, no Rio de Janeiro, contra a irregularidade do time na Libertadores. 

O mais criticado foi o presidente Eduardo Bandeira de Mello, que precisou contar com o apoio de alguns seguranças para conseguir embarcar.

Os torcedores pediram a saída do dirigente e o fim da apatia em campo. Os volantes Willian Arão e Jonas foram os mais xingados dentre os atletas e nem o técnico interino Maurício Barbieri foi poupado. 

O Flamengo divulgou uma nota oficial sobre o episódio, minimizando o protesto. “O Flamengo respeita o direito dos torcedores se expressarem, mas lamenta o ocorrido. E entende que cinco ou seis pessoas não representam toda torcida flamenguista”, disse o clube.


Fonte: Terra

Imprimir