Cidadeverde.com
Geral

Fiéis dão adeus a Dom Miguel que é sepultado na Catedral N. S. das Dores

Imprimir
  • 33a6e7c0-725f-4008-82e3-9b4e6b969a28.jpg Arquidiocese de Teresina
  • 8d7f3abf-a32f-4243-b946-5b06a214221c.jpg Arquidiocese de Teresina
  • 8d1e57ce-e762-49ee-927c-f302d7fcccff.jpg Arquidiocese de Teresina
  • 8abf86f1-4931-4fd8-8640-2906844abb43.jpg Arquidiocese de Teresina
  • 5e169151-c5a3-4b6c-9b24-4f5e5106a30c.jpg Arquidiocese de Teresina
  • 2bf5504e-e87f-4ee0-a50c-3ddfad45c2f6.jpg Arquidiocese de Teresina
  • velorui-0yyy.jpg Yala Sena/Cidadeverde.com
  • velorio-yyyy.jpg Yala Sena/Cidadeverde.com
  • velorio--yy.jpg Yala Sena/Cidadeverde.com
  • velorio-y.jpg Yala Sena/Cidadeverde.com
  • velorio3.jpg Arquidiocese de Teresina
  • velorio2.jpg Arquidiocese de Teresina
  • velorio1.jpg Arquidiocese de Teresina
  • velorio.jpg Arquidiocese de Teresina

Atualizada às 16h27

A última missa de corpo de presente de Dom Miguel Fenelon Câmara Filho, 93 anos, foi realizada às 11 horas e terminou por volta do meio-dia pelo Arcebispo de Teresina, Dom Jacinto Brito. Um grande público acompanhou todos os ritos. Em seguida foi realizada a exequia solene, cerimônia religiosa feita antes do sepultamento de bispos. Após o ato religioso, o corpo de Dom Miguel foi sepultado na Catedral de Nossa Senhora das Dores, localizada na praça Saraiva, no centro de Teresina. 

O caixão de Dom Miguel foi fechado às 12h30. Ante  foram retiradas as insígnias religiosas e o arcebispo de Teresina, Dom Jacinto Brito, colocou três rosas brancas e chorou ao se despedir do amigo.

"Coloco essas três rosas brancas. Uma em meu nome, como seu amigo, irmão e sucessor; outra em nome da arquidiocese e a terceira em nome dos que rezaram por ele", disse Dom Jacinto que colocou as rosas e, em lágrimas, beijou a mão do amigo. 

Em seguida o corpo foi colocado no chão diante do altar. Na capela onde foi sepultado o arcebispo emérito há dezenas de coroas de flores. 

Ao todo, seis bispos do Piauí acompanharam a celebração religiosa e Dom José González, de Cajazeiras-PB.

Familiares de Dom Miguel acompanharam a última missa de corpo presente celebrada pelo arcebispo de Teresina, Dom Jacinto Brito. Uma das irmãs do religioso, Teresa Câmara, disse emocionada que o amava e que ele era uma pessoa especial.  

"Viemos de Fortaleza para o sepultamento. O povo daqui acolheu meu irmão muito bem. Eu o amava, era uma pessoa especial e diferente. Lembrar dele me emociona e não consigo falar.  É uma tristeza profunda pois é uma despedida",  disse a irmã do religioso que assistiu a missa acompanhada de outros familiares. Ao todo, eles eram 14 irmãos.  

O prefeito de Teresina, Firmino Filho, também acompanhou a despedida de Dom Miguel. Acompanhado da primeira-dama, Lucy Silveira, ele enalteceu o trabalho pastoral e social do arcebispo emérito. 

"Ele era um exemplo não apenas como evangelizador, mas como ativista social. Os projetos dele de caridade permanecem e vão ficar para sempre nos corações dos teresinenses", disse o prefeito.

Materia original

Fiéis dão o último adeus ao arcebispo emérito de Teresina, Dom Miguel Fenelon Câmara. O sino soou durante a chegada do corpo para o velório, por volta das 21h, desta quinta-feira (28). O caixão foi carregado por padres e na entrada da catedral de Nossa Senhora das Dores, na praça Saraiva, Centro de Teresina, muitos aplausos em reconhecimento ao legado deixado pelo religioso. O corpo recebeu a benção do arcebispo de Teresina, Dom Jacinto Brito.

"Dom Miguel administrou tanto os sacramentos de Deus para milhares de pessoas nos seus anos de padre, bispo [...] Podemos imaginar quantas bençãos de Deus passaram pelas suas mãos, por seu coração de pastor. Agora é hora de agradecermos a sua dedicação, testemunho e pedir a Deus que fecunde as boas sementes que ele lançou com seu pastoreio entre nós e lhe dê a recompensa de servo fiel", disse Dom Jacinto.

Missas são celebradas a cada 2 horas na própria igreja. Antes da missa de corpo presente, fiéis formaram uma fila para prestar as últimas homenagens.

"Dom Miguel era  um homem santo que muito fez por Teresina. Sua volta a casa do pai nos deixa a tristeza e ao mesmo tempo a alegria por saber que ele será bem acolhido pelo Senhor", disse Nilson Mendes, servidor público.  

Os rituais do sepultamento estão previstos para iniciar às 11h. O corpo será enterrado na capela de Nossa Senhora do Carmo que fica dentro da catedral de Nossa Senhora das Dores. No local estão os restos mortais  de Dom Severino Vieira de Melo, primeiro arcebispo de Teresina.

O primeiro padre ordenado por Dom Miguel, padre Amadeu Matias, diz  que o maior legado deixado pelo religioso é o amor pelas pessoas excluídas da sociedade. 

"O legado de Dom Miguel é de uma testemunha do Cristo que morreu e ressucitou para nos salvar e que pregou o Reino de Deus. O que nós somos no mundo é irmãos e irmãs. Lembrar-me de Dom Miguel é lembrar-me do essencial na vida cristã: amar a Deus, amar os irmãos", disse o padre Amadeu.

Autoridades políticas também se despediram de Dom Miguel. 

"A última vez que estive com Dom Miguel foi há cerca de dois meses. Estive visitando e ele também esteve na Assembleia. Quem perde é o Piauí, é Teresina é o mundo cristão", disse o deputado Themístocles Sampaio Filho (MDB), presidente da Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi). 

O presidente da Câmara de Teresina, Jeová Alencar, ressaltou o legado do religioso na área social. 

"Sem dúvidas nenhuma, ele deixa uma lacuna muito forte e uma saudade muito grande para a nossa sociedade", disse Alencar. 

O governador Wellington Dias destaca que o arcebispo emérito transformou a diocese de Teresina. 

"A presença dele nos movimentos de bairro, nos movimentos de rua, mulheres prostituídas. Além disso, a força que isso teve para todo o Piauí", disse o governador do Estado. 

Dom Miguel era cearense, tinha 93 anos e foi arcebispo de Teresina por 16 anos. Ele estava internado há mais de 20 dias após contrair uma pneumonia e faleceu na tarde desta quinta-feira (28).

Graciane Sousa
gracianesousa@cidadeverde.com

Imprimir